1. Evangélica novinha V– Desejo.


    Encontro: 18/06/2017, Categorias: Virgens, Autor: goreth melodia, Fonte: ContoErotico

    Meu nome é Isaura, sou uma mulher bem magrinha, tenho consciência que tenho um corpo bonito, sou loirinha, bundinha arrebitadinha e apesar de simples sempre uso roupas que valorizam meu corpo. Hoje tenho pouco mais de 30 anos, 1,58m, 45kg. A diferença é que hoje tenho formação em Enfermagem e onde trabalho todos me miram e tem alguns que até já chegaram a mais que ficar apenas me olhando. Como já disse antes, minha família é toda evangélica e ainda sou até hoje. E mesmo tendo consciência que varias coisas que faço é proibido, essas lembranças da minha infância/adolescência me deixam cheia de tesão. Hoje me recordo que depois de eu ter feito oral em Jesuíno e também no meu namorado Zezinho, fez despertar em mim toda aquela fêmea escondida pelas restrições imposta pela minha família e minha religião, então meu corpo ansiava por sexo, por um macho que me transformasse em fêmea de verdade, que me ensinasse os segredos do sexo em toda sua plenitude, as conversas com as mulheres mais velhas já não me satisfaziam. Naquela época da minha vida, apesar de ainda bem novinha acabei eu e Zezinho acabamos ficando noivos. Meus pais achavam que era muito cedo, pois desejavam uma filha formada e não mais uma dona de casa na nossa família. Mesmo ficando noivos Zezinho continuava a ser um homem respeitador, até demais para o meu gosto e desejo. Apesar do nosso relacionamento ter evoluído, trocávamos caricias mais intimas, éramos mais ousados, mas ainda permanecia intocável. Percebia que ele ... não tinha muito jeito e tinha muita vergonha, pois apesar de eu já ter me entregue a ele, fazendo até aquela chupetinha, ele não tomava a iniciativa e vivia sempre arredio, parecia com medo, as vezes me lembrando dos pecados na igreja e eu como menina pura e honesta não tinha coragem de fazer “mal” pra mim, que deveria me resguardar para o meu marido, que no caso com certeza seria ele. Nesse interim, Jesuíno que também estava noivo da minha irmã a engravidou. Isso apressou seus casamento e como não estavam preparados tiveram que morar num quartinho nos fundos da nossa casa, até que arrumassem um lugar para se estabelecerem. Com isso passamos praticamente a convivermos debaixo do mesmo teto. E como não poderia deixar de acontecer, minhas lembranças recentes chupando seu pinto passaram a povoar meus pensamentos, ainda mais que Zezinho se portando como estava, me deixando a ver navios, não resolvia o meu grande problema do momento que era a falta de sexo, a carência de um macho. Meu tesão era tanto que estava dando bandeira e eu mesma percebia que ele era ciente da minha situação, do meu tesão recolhido. O que mais me deixava acaçapada eram as noites que eu podia ouvir os dois transando, isso me fazia sentir na pele, seus gemidos me deixava toda molhadinha, até achava que ele fazia isso apenas para me provocar e isso me fazia bater umas siriricas homéricas. Fui passando por esses momentos, e sabia que se deixasse levar pelos meus pensamentos não poderia sair coisa boa. Essa ...
«123»