1. A Descoberta (Curtindo com o inimigo).


    Encontro: 18/06/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: Adriano M., Fonte: ContoEroticoComBr

    brincadeira… Eu, chupar você?! Você deve achar que sou um otário, um imbecil, por acaso tem escrito burro em minha testa? Você nunca gostou de mim, já brigou e mal fala comigo, sempre me tratou mal e agora vem com essa história?! – eu sei você tem todo direito de ter raiva de mim, por causa de como lhe trato, mas você é um boy legal… – “Boy legal”? Sei… Conta outra…Se sou legal como você diz,então porque você sempre me trata mal? – eu tenho que manter minha imagem de bad boy… Vamos deixar nossas brigas para trás, podemos virar amigos entre nós, mas na frente dos outros eu tenho que continuar a te sacanear, mas prometo que vou aliviar… Sabe qual é o problema de todo filho da puta sacana metido a bad boy? Todos geralmente além de charmosos com seu jeito cafajestes de serem, têm uma lábia do caralho… E com Fábio não era diferente, era aquele magro sarado, belas pernas, um rosto atraente e sorriso de sacana. Eu estava meio que um pé atrás com aquela atitude inesperada dele, alguém que me desprezava e que eu odiava, querer fazer um oral comigo. Apesar de tudo que prometi a Caio e suas ameaças, eu não me contive, não podia deixar uma “carne fresca” daquela passar por mim intacto,ainda mais sendo algo que ele queria fazer de livre vontade. Então aceitei sua proposta e fomos para uma sala vazia, o engraçado foi oque ele falou no meio do caminho: – Ei Boy, eu quero que você me chupe bem legal,quero que você dê um trato na minha chibata… Em seguida perguntei: – Não quer comer meu cú ... não? – Sem chance boy, só chupeta mesmo, não sou chegado a rabo de macho não, só de boyzinha, eu “não sou fresco” não… Eu me segurei para não rir, “eu não sou fresco”, típico papo de pseudo-macho que acha que por ser ativo não tem tendência homossexual… Chegando a um bloco de salas, procuramos uma com a porta trancada, achada a sala, pulamos a janela e não perdemos tempo,afinal era horário de jantar. Fábio encostou-se na parede, enquanto eu puxei seu cacete pela perna de seu calção, apesar de ser um cara detestável não pude deixar de apreciar o quanto seu membro era bonito, devia ter 16-17 centímetros, comprido, cabeçudo, com veias salientes e enormes bolas descoladas. Comecei então a lambê-lo, da base até a glande, fazendo gemer de excitação. – Caralho boy… Você chupa como uma profissional, Ewerton deve estar metendo com força aí dentro… Fazendo-me de ofendido, parei de chupar e disse: – Quem lhe disse por acaso que eu já dei meu cú para Ewerton ou para algum outro garoto?! Nunca aconteceu nada comigo (mentira do cacete…), há não ser aquela chupeta no meio da mata, você entendeu? – Desculpa… Desculpa… Foi mal caralho, mas agora deixe de conversa e volta a mamar. Enquanto chupava seu cacete, eu sentia suas pernas tremerem com minha felação, algo estranho para quem sempre se disse “pegador” parecia um novato no assunto. Chupava suas bolas com força, fazendo o escroto gemer de tesão. -Uuuuuuh! Caralho… Vai boy, chupa a nervuda, lambe o “chapéu” de couro… Fabio segurava minha ...