1. Surpresas da Vida (A Viagem 3/Continuação.) 12 de Maio 2016


    Encontro: 17/06/2017, Categorias: Com Fotos, Gays / Homossexual, Autor: Adriano M., Fonte: ContoEroticoComBr

    [Após a confusão com Josias e Isaias, Arthur convidou JP para espairecer e esquecer todo o ocorrido desde sua chegada à fazenda o convidando para uma tarde divertida na lagoa para esfriar a cabeça]. -Mandou bem JP! Eu não disse pra tú que ia dar certo?! Você não pode deixar uns merdas daquele montarem em você, eles podem ter mais corpo que você, mas você é um dos donos dessa fazenda e como empregados eles devem te respeitar. -Obrigado pela presença Arthur, você está certo, não posso os deixar montarem em mim, não vou deixar acontecer esse erro novamente. JP conversava com Arthur, mas não tirava o olho do velocímetro do veículo, que apesar de ser uma pequena picape, tinha motor 1.4 e podia passar dos 160 km/h, se em uma estrada já seria perigoso, na terra era morte na certa. A estrada estava um lameiro só, mas Arthur não alisava,chegando até a extrapolar um pouco o limite do bom senso, algo imprudente, ainda mais em um carro com centro de gravidade alta, enquanto que apesar de alargado,no cú de JP não passava um fio de cabelo. Depois de alguns minutos de emoção, finalmente chegaram a lagoa. Era uma bela paisagem, um lugar de águas calmas, límpidas e com muito verde ao redor. Arthur disse que geralmente era freqüentada pelos peões e garotos da fazenda e das proximidades, tanto para diversão, como para matar a sede e banhar os animais e cachaçadas além de sacanagens com putinhas. Arthur sem cerimônia tirou a roupa ficando somente com uma boxer e correndo,mergulhou na lagoa ... que tinha uma boa profundidade. JP não se fez de tímido e após tirar a roupa, já estava fazendo oque sabia de melhor: Nadar! Por minutos ambos ficaram brincando como se fossem duas crianças de 12 anos, jogando água um no outro como em um dia de praia. Depois de muito brincar,ambos saíram e se sentaram lado a lado a beira da lagoa onde ficaram papeando por muito tempo, sobre os mais variados assuntos, até chegarem ao ponto delicado. Arthur olhou para JP e olhando seriamente lhe disse: -Sei que não é da minha conta “tampinha”, cada um faz e é oque é na vida, eu vi você sendo currado, apesar de ver que eles estavam abusando de você, pude ver em certos momentos que você estava parecendo gostar, foi à primeira vez que você trepou com macho JP? JP tentou sair pela tangente, desconversar, mas pela expressão facial do amigo nadador que não encarava ele, Arthur sabia que ele estava certo e que aquilo não era novidade na vida de José Pedro e insistiu. -Porra JP, até parece que não somos amigos, posso até ser um cara do mato, da roça, mas saco das coisas, oque conversamos morre aqui,acho que já dei provas de minha amizade,se fosse outro com certeza já teria falado a seus pais e ao Padrinho e a merda estaria feita,mas não sou menino para fazer dessas coisas. Apesar do constrangimento, José Pedro abriu o jogo para Arthur, pois sentiu que poderia confiar nele, pois apesar da pouca idade, via que ele era um homem e cumpriria com sua palavra. – Você está certo, não foi à primeira vez, foi a ...
«1234»