1. Boate do prazer 2


    Encontro: 17/06/2017, Categorias: Exibicionismo, Autor: eleninha, Fonte: ContoErotico

    Eu subi ate o camarote e para minha surpresa só estava Julian lá, fiquei MT decepcionada, pois não era aquilo que tínhamos combinado, Então fui logo reclamando:- Poxa amor, você me prometeu que iriamos fazer algo mais safado hoje!- Princesa, nos vamos, eu só quero que v confie em mim.Resolvi me levar pelo Julian, apesar de estar um pouco frustrada por não poder ficar no meio da multidão!Depois de algumas bebidas. Começou a pegaçãoJulian estava sentado na cadeira e eu sentada no colo dele. Ele beijava meu pescoço e apertava minha bunda com muita força, eu já bêbada não sabia, mas como a reagir a tantos estímulos no meu corpo. Só gemia é suspirava para ele não parar, ele me levantou e me colocou em pé diferente pro blindez do camarote, enquanto me dava umas encoxadas gostosas por trás.Eu só fiquei imóvel e empinada a merecer dele. Foi quando comecei a observar o movimento na pista de dança. Todos dançavam loucos e embriagados, mulheres lindas rebolando ate o chão e de onde eu estava conseguia ver a buceta delas rapando no chão, aquele clima só me excitava ainda mais.Então decidi fechar meus olhos e apreciar o show, De olhos fechados, virei.Para junto dele. Inspirando fundo, senti o cheiro da sua.Pele. Minhas mãos tocaram seu corpo forte e frio, ... deslizando sobre os.Músculos e puxando-o para junto de mim.Ele me beijouProfundamente e com urgência. A gula com que me tocava fez meu coraçãoDisparar. Ele virou agressivamente de costas novamente, colando meus seios expostos no vidro do camarote, então desceu pelo meu corpo, acariciando meus mamilos.Com a língua, minha barriga, minha boceta. Arfei e arqueei o corpo.Ele chupava meu clitórisCom uma dedicaçãoExigente, enlouquecendo-me,As mãos mantendo meu quadril firme no lugar enquanto eu me contorcia sob o ataque de sua língua. Gozei forte, gritando. Ele limpou a boca na parteInterna da minha coxa e voltou para junto de mim, apenas uma sombra sedutora na escuridão da noite. Montou em mim e me penetrou com força.Além dos meus gemidos, ouvi sua voz rosnando meu nome como se o prazer de.Possuir-me fosse forte demais para suportar.Enquanto ele abria e dedilhava minha buceta eu não percebi que a multidão abaixo de nos estava inquieta. Quando ele se levantou segurou meu cabelo forte e forçou minha visão para baixo:- Olha minha vadia, todos olhando pra gente e pro seu corpinho gostoso.Quando observei as pessoas que notaram a nossa presença estava nos cantos da festa tocando punheta e acenando para nós!************ continua*****(Fotos meramente ilustrativas)
«1»