1. Fui adotado para o sexo


    Encontro: 16/06/2017, Categorias: Incesto, Heterossexual, Autor: Diego, Fonte: CasadosContos

    Olá a todos. O meu nome é Diego e atualmente tenho 56 anos. A história que vou relatar começa quando eu tinha 14. naquela época, quem viveu sabe que tudo era muito mais inocente. Era fácil se excitar com qualquer joelho a mostra e punheta era coisa rara, já que não tinhamos muita privacidade por sermos crianças. Por eu viver em um orfanato, menos ainda. Sempre dividia o quarto com mais cinco meninos, sem putarias, mas deixava o pau sempre duro já que não dava pra se masturbar. Lembro que era muito difícil uma pessoa ser adotada naquela época. Por isso, quando eu tinha 14 anos já nem acreditava que alguém iria me adotar. Mas surpreendentemente um dia uma mulher de mais ou menos 40 anos chegou lá para adotar uma criança. Ela era solteira, se chamava Lucia e era bem branca, um pouco gordinha, com seios enormes e uma bundona grande. Ela usava saia até os pés e roupas largas. Pediu para ver os meninos e depois voltou para a diretoria. Não era normal uma conversa demorar tanto, mas a Madre Superiora do orfanato ficou ali muito tempo mesmo. Depois me chamou junto com outros cinco meninos. Ela disse que nós seis chamamos a atenção da dona Lucia e que ela escolheria um de nós, mas antes passariamos um mes confinados em um quarto só nosso onde faríamos exames. Como ninguém sabia como era o processo de adoção, topamos. Passamos aquele mes tomando remédios que diziam ser para tratamento de vermes e comiamos uma comida de hospital. Mas o fato é que dois meninos desenvolveram seios e ... logo saíram do quarto. Eu fiquei com os outros tres e ninguém conversava muito, mas era evidente que todos estavam com vontade de se masturbar e o nosso pinto parecia ter engrossado e crescido um pouco. Depois desse mes, uma enfermeira nos chamou em salas privadas e nos mediu. Lembro que ela jogou lubrificante na mão e me masturbou até eu gozar. Eu fiquei sem ação, com muito tesão. Ela mediu meu pau e coletou o esperma em um potinho. Depois disse que eu poderia ir. No dia seguinte, me disseram que eu tinha sido escolhido pra ser adotado pela Lucia. Cheguei na casa e fui recebido por ela de braços abertos e um sorriso. Me disse que eu poderia chamá-la de mãe e que não precisava ter vergonha dela. A casa era bem simples, com dois quartos e um banheiro compartilhado. Lembro que o banheiro era estilo americano, com uma banheira e uma cortina para fechar caso fosse preciso. Nos primeiros dias me acostumei com o local, conversei com a Lucia e achei ela uma mãe bem legal. Ela trabalhava com moda e por isso eu ficava muito em casa, motivo pelo qual comecei a me masturbar muito. Quando ela chegava, me enchia de mimos e depois ia tomar banho, se trocava e ficava andando pela casa com um pijamão largo e sem calcinha nem sutiã. Lembro que depois de mais ou menos um mes assim, um dia ela me disse que chegaria tarde. Comecei a me masturbar assim que ela saiu, mas logo em seguida ela voltou. Tive de parar e me vestir. Ela disse que o compromisso tinha sido cancelado e passaria o dia comigo. ...
«123»