1. Renato & Elias Cap.23


    Encontro: 16/06/2017, Categorias: fofo, Romance, medicamentos, ilegal, inacreditável, descoberta, Hospital, Homens, Amor, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Gustavinho, Fonte: CasadosContos

    Cap.23 NARRADO POR ELIAS Óbvio que eu fiquei possesso com tudo aquilo. Não tinha motivo nenhum para alguém fazer algo contra ele, ainda mais daquela forma, podendo incriminá-lo e fazê-lo perder o direito de exercer a sua profissão. Eu descobriria junto a ele quem estava fazendo aquilo, custe o que custar. -Renato ? Você já teve algo com aquele enfermeiro ? - ele ficou calado por alguns segundos. -Nós ficamos algumas vezes... Mas não passou disso. A relação que eu tive com ele era sem compromisso. -Mas então, porquê ele poderia querer fazer algo contra você ? Supõe-se que o interesse era apenas corporal não ? -Eu não sei... Se ele tiver descoberto que nós estamos juntos e tiver ficado com ciúme disso, nunca se sabe se ele não pode ter sido capaz de fazer isso. -É... Até que faz sentido... Mas... Como ele descobriria ? -Ah Elias, eu não sei... As pessoas quando querem descobrir as coisas, descobrem. Dão um jeito e descobrem. -É... Você tem razão... Mas e quanto a Farmácia ? -Se as pessoas estão morrendo sem explicação, o problema não é com os médicos Elias. Ou está havendo algum problema com as máquinas, ou com os medicamentos. Quero que você vá lá, e qualquer indício que notar de algo errado, recolha, para que eu possa entrar com uma ação de perícia contra o hospital. ALGUNS DIAS DEPOIS Todos os meus plantões pelos próximos dias foram de dia. Nesse horário era ruim, porquê, como ele era um enfermeiro fixo a aquele horário, eu não podia visitar as instalações do enfermeiro. ... Despertariam muitas suspeitas. Além disso, a Farmácia era extremamente frequentada de dia. Porém, nem foi necessário eu visitar a Farmácia. -Doutor ? - a porta do meu consultório foi aberta – posso conversar com o senhor ? - era uma enfermeira. -Claro... Entre... -Não, mas é melhor que seja lá fora... -Porquê ? -Não que saibam que eu falei com o senhor. Já explico o porquê, me espere lá no jardim de trás. -Ok... Num primeiro momento eu não entendi o porquê e fiquei com a dúvida na cabeça. Porém, quando ela chegou lá, eu entendi o porquê. -E então, porquê você quer conversar comigo as escondidas dessa forma ? - perguntei, assim que ela chegou. -Doutor... O senhor precisa fazer algo... -Mas porquê ? Diz o que é que está havendo ! -Eu ando desconfiada de que o Lucas anda fazendo contrato com laboratórios clandestinos. -O quê ? Mas porquê ? -Os medicamentos estão vindo muito diferentes do que costumam vir. Ainda agora eu tive que aplicar esta ampola de Paracetamol num paciente, e olha a cor que está ! - falou ela, tirando do jaleco. -Meu Deus... - estava uma cor esverdeada, que de forma alguma era aquele remédio – mas isso é muito grave. Isso é caso de polícia ! Os pacientes podem morrer ! -Eu sei, eu sei... Mas eu só não tenho força para enfrentar a diretoria desse hospital. Vocês médicos tem ! E para piorar, o pessoal da farmácia disse que teve um lote que chegou vencido. -O Lucas está fazendo negócios a margem da lei... Botando a vida dos pacientes em risco. Vou denunciar o ...
«12»