1. NO PÊLO


    Encontro: 15/06/2017, Categorias: Com Fotos, Travestis, Autor: 5678Ri, Fonte: ContoEroticoComBr

    Hoje vou contar a vocês como me iniciei com travestis e por ke a minha tara em transar sem camisinha. Primeiramente vou me apresentar, tenho 32 anos, sou malhado, tenho 1,87 m. de altura e um dote de 19 x 4 cm. Estava eu passando na região em ke as travestis aki de Campinas ficavam mostrando o Pinto, dos mais diversos tamanhos, e se masturbando para os carros, nesta região, ao lado do bosque, havia de tudo, uma travesti chupando a pica da outra, travestis se comendo, gozando e esporreando, muitas travestis completamente peladas, e tudo ke se pode imaginar com os adoradores de travestis ke passavam a pé pela região. Estava atrasado, porém resolvi, mesmo sem tempo, passar por ali, kuando estava eu passando uma travesti loira, coxuda e bem peituda, jogou sua calcinha pela janela do meu carro e gritou “vem devolver a calcinha e gozar comigo”, parei o carro e cheirei a calcinha da travesti e resolvi apenas devolver a peça jogada no meu carro. Ocorre ke, kuando voltei para devolver a calcinha, a travesti se masturbava e vi uma pica enorme, tanto no comprimento como na largura, aí ela me disse, “vamos gozar?” aí eu disse, “é melhor não, nunca sai com travestis e nem saberei como me porta”, ora, ela disse, “você vai amar se iniciar, amo iniciantes”, aí topei e coloquei ela no carro e rumei para um motel. Acertei com ela o programa, e estava decidido neste dia a dar meu rabo pra ela, que (prometo relatar em outros contos) em experiências anteriores, não me foi muito bem sucedido ... devido a dor e certa pressa da pessoa. Como estava com vontade de ficar num local bem tranquilo, me dirigi com ela até um ótimo motel daqui Chegando lá ela se dirigiu para a cama e começou a se despir, enquanto eu tomava um banhinho. Quando saí, ela já estava nua na cama, com as pernas abertas, enquanto assistia um filme e manipulava seu pau, que já se encontrava relativamente duro. Fui me chegando perto, pelado, e olhando aquela cacetão que estava limpinho, e já bem duro. Antes de mais nada, pedi pra olhar ela inteirinha, e pedi pra ela ficar um pouco de quatro pra mim enquanto ela continuava a se masturbar. Meu, foi delirante ver aquela bunda branquinha, sem pêlos e grande apontada pra mim. Rapidamente, cheguei bem perto e comecei a cheirar aquela bunda gostosa, passando meu rosto pelas bandas, até abrir e me deparar com um lindo cuzinho, que rapidamente comecei a passar a ponta da minha lingua, o que pela reação dela, estava delicioso. Empolgado com os gemidos e a visão dela, fiquei um bom tempo lambendo aquele cu, ora com a ponta da língua, ora em movimentos circulares, ou às vezes tentando penetra-lo, como se minha língua fosse como meu pau. Também comecei a punhetar o pinto dela enquanto fazia isso… o que continuei por um bom tempo, até que pedi pra que ela se virasse de frente, pra que eu pudesse dar um trato naquela vara. Seu pinto não era descomunal, embora não possa classifica-lo como pequeno. Era grosso, e assim como o meu, devia ter os seus 19 cm, só que era sem nenhum ...
«123»