1. Comi a noiva do amigo. Ssa-Ba 1977


    Encontro: 15/06/2017, Categorias: Heterossexual, Autor: luizba2015, Fonte: ContoEroticoComBr

    Os contos são verídicos, alguns nomes das pessoas envolvidas serão modificados. Tenho certeza que um grande número de pessoas por esse mundo afora já passaram, estão passando, ou mesmo fantasiam por essa situação. Este fato ocorreu quando tinha 19 anos. Estávamos eu e mais dois casais de amigos em um Barzinho & Discoteca, não lembro o nome, ficava no bairro da Amaralina, interessante o local, a parte de dentro era discoteca e a parte de fora barzinho, não fiquei muito tempo segurando vela, mas essa é outra história, fomos embora, deixei cada um em suas casas, um dos amigos bebeu todas, desceu do carro de quatro, só faltava levar a noiva dele em casa, quando arranquei o carro ela disse. – Esta cedo, não quero ir para casa. Pensei com meus botões, que porra irei fazer, com essa mulher? Será que essa putinha está querendo fuder? Para não dar fora, fui pisando devagar. Rebeca, deveria ter 19 anos, morena, bonita, cabelos pretos longos, peitos médios, bunda media gostosa. – Quer ir pra onde? – Qualquer lugar, menos para casa. – Quer passar no Diulino e ir para outro lugar? – Boa ideia. Passei no Diulino e peguei duas garrafas de batida, (Bar do Diulino, muito badalado naquela época, especializado em batidas de todos os sabores, ficava no Largo da Mariquita, Rio Vermelho), fui para Estella Mares, (naquela época era totalmente deserto), no caminho ela já foi entornando a batida, quando chegamos, ela já tinha tomado uma garrafa, parei próximo a praia, ela desceu do carro e disse ... que iria tomar banho de mar, tirou a roupa ficando de calcinha e sutiã, fiquei preocupado pelo estado que ela estava, tive que acompanhar, tirei minha roupa e fiquei de cueca, como era noite de lua cheia, deu para ver o corpo dela, era uma delícia, se jogou na água, eu fiquei na beirada, se esbaldou, quando cansou saiu da água, batendo os dentes de frio, não perdi tempo. – Tira essa roupa molhada. Tirou a calcinha e sutiã, bebeu três boas goladas da outra garrafa, jogou-se em meus braços com desculpa que estava com frio, ficamos abraçados, eu passando as mãos em suas costas, nossas bocas se uniram, daí para frente foi só alegria, entramos no carro, fomos para o banco traseiro, beijos na boca, chupadas nos peitos, mão na buceta, ela deitou abriu as pernas, pica pra dentro, ela gemeu, gozou, dei minha gozada, deve ter baixado o fogo depois de ter gozado ou a bebida passou o efeito, ela pediu que não falasse nada para ninguém. Respondi dizendo a seguinte frase. – Quem come e guarda, come duas vezes. Ela sorriu, perguntei se queria voltar para casa, respondeu. – Não posso chegar em casa assim, podemos ir para um motel? Digo que dormi na casa de uma amiga. – Adorei a ideia. Ficou deitada no banco traseiro pelada, partimos para o motel mais próximo, enquanto ela tomava banho, pensei com meus botões, vou dar uma surra de pica nessa putinha, tomei meu banho, fizemos um lanche, já na cama beijando e passando a mão em seus peitos e buceta, ela massageava meu pau, coloquei-a em um 69, ...
«12»