1. Nosso netinho é Garoto de Programa, parte 2


    Encontro: 15/06/2017, Categorias: Com Fotos, Incesto, Autor: nandocouto, Fonte: ContoEroticoComBr

    Os minutos posteriores à abertura da porta do quarto daquele motel pareceram uma eternidade. Eu, Marta e o nosso neto ficamos como que congelados, inertes, paralisados, completamente sem ação. Quem, por acaso, disser que um encontro desses não causa um torpor, um susto, uma vontade de sumir do universo, está mentindo, mesmo que estejamos com a cara cheia de bebida, como eu a Marta já estávamos. A ficha caiu, finalmente, e então eu e minha nobre amiga começamos a rir enquanto Mateus parecia não saber onde enfiar a cara, nitidamente envergonhado, olhando para o chão… Por incrível que pudesse parecer, eu e a Marta começamos a rir também, mesmo sem saber o real motivo ou talvez por todos eles: nervosismo, incredulidade, surpresa, pena de ver nosso netinho daquele jeito. Acabamos convidando Mateus para entrar e ele, claro, resistiu, parado em frente à porta; antes que fizéssemos o segundo convite, levantou a cabeça e nos olhou, rápido, de cima a baixo: estávamos ambas de cinta liga, como havia dito. __ Entra logo, Mateus, ou vai esperar passar algum conhecido no corredor ? __ A Marta sugeriu entre nervosa e alegre, colocando a mão livre na cintura. Nosso neto cruzou o batente e da cama não pude deixar de notar que ele tremia da cabeça aos pés, como se estivesse sido convocado para uma guerra. __ Vem __ Marta o pegou pela mão depois que fechou a porta atrás de si __ Vem sentar aqui com a gente. Ele se deixou guiar e também caiu sentado sobre a cama. Eu e Marta cruzamos nossos ... olhares, cúmplices, buscando amparar uma à outra diante daquela situação mais que inusitada, não deixando transparecer para Mateus o quão estávamos abaladas. Ficamos sentadas ao lado de Mateus. Vai saber porque continuamos com nossas cintas ligas, sem nos cobrir. Talvez estivéssemos mais preocupadas em consolá-lo, e obviamente, entender o que ele estava fazendo naquele mundo. Depois de um bom tempo, descobrimos que ele decidiu embarcar naquele universo como uma aventura, confessando que tinha tesão em receber dinheiro pra transar. Ok. Só conseguimos tirar isso dele depois que o convencemos a beber alguma coisa, afinal, já estava ali e ir embora, como sugeriu, não ia adiantar nada. Ia somente nos deixar ainda mais curiosas e a oportunidade de conversamos ficaria mais difícil. Aos poucos Mateus foi ficando mais solto, e nós duas também ate chegamos ao ponto de falarmos sobre a conversa que tivemos na sala de bate papo. O clima foi ficando mais tranquilo, ele ria do nosso “desespero” e “curiosidade” em tentar arranjar um garoto de programa, e nos encheu de perguntas para tentar entender essa nossa necessidade. __ Ué __ Marta sempre mais direta, disparou __ O seus clientes também não buscam a mesma coisa? Mateus ficou desarmado, mas ainda tentou argumentar. __ Mas sei lá… __ ele gaguejou, cabisbaixo __ Vocês são minhas avós… Sabe como é… Marta se levantou e deu uma rodada em torno de si e falou depois que voltou a ficar de frente: __ Somos de carne e osso, menino… Umas gordurinhas, ...
«123»