1. Na Parada de Onibus 3


    Encontro: 15/06/2017, Categorias: Romance, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Teus, Fonte: CasadosContos

    ao chegar naquele local, pensei que veria varias pessoas lutando, mas era apenas uma academia comum. Mas ao entrar na parte mas funda, logo depois da áreas de máquinas, vi varios grupos de jovens a adultos, treinarem. Eu e Mainha caminhamos pelos grupos até uma parte onde parecia ser a área de administração. - Filho vou fazer sua matricula, vai dar uma volta. Estava pensantivo, mas queria continuar com aquela ideia. Por um momento notei que algumas pessoas, alhavam pra mim, fiquei envergonhado. Estava começando a achar que aquelas calças realmente estavam muito apertadas. - oi - falou alguém. - olá. - sou o Gabriel, filho da dona Esmeralda, sua mãe falou que vinha aqui. - falou ele sorrindo. - ha sim... - falei. Nunca tinha reparado nele, mesmo sendo meu vizinho. Era o tipo menino/homem, um pouco mais alto que eu, forte, cabelos castanho e bem Branco e parecia ser 1 ou 2 anos mais velhos que eu. - então, o que vai treinar? - perguntou sorrindo. - Crav Maga. - hum... bacana, quer ver o treino, eu posso te levar lá - sugeriu. - pode ser. Fui caminhando ao seu lado, e reparando em tudo naquele local, o piso de madeira e as paredes brancas. Subimos a parte de cima, no segundo andar, era o mesmo estilo madeira e paredes brancas, mas o teto era como a tenda de um circo só que tambêm de madeira, dava um belho charme ao local. tinha só algumas pessoas e um empregado limpando o chão. - o que você treina ? - falei, tentando começar uma conversa. - jiu-jitsu. É bem legal - falou ele, ... e notei que ele deu uma olhada na minha parte traseira - vai ser bom ter você treinando aqui - continuou e sorriu com malícia. - Ah é po... - tentei falar mas acabei tropeçando em um balde. No momento em que ia de encontro com o chão de madeira, o Gabriel passou um dos seus braços ao redor de meu braço e o outro foi de encontro a minha cintura, mas logo desceu para minha bunda, colocada na calça. Minha reação foi de puro susto, ele sorriu safado e apertou minha bunda com firmeza, nesse exato momento o empurrei jogando o mesmo para frente e logo fui ao chão. Não acreditei naquilo, como pode ser tão cara de pau, Quando ia falar algo para tirar aquele sorriso de sua cara, ouvi uma voz que já conhecia: - algum problema aqui? - perguntou. - não, nenhum senhor - respondeu Gabriel. - o treinho de Jiu-jitsu é lá em baixo. - sim senhor, já estou indo. E assim o Gabriel Saiu da sala me deixando sozinho mas antes de cruzar a parte da porta para escada olhou profundamente pra mim, e me deixou naquela situação. olhei logi depiis para o Eitor - então é você Bravinho? - perguntou Eitor, debochado, me estendendo a mão. - Miguel - o respondi, Corrigindo-o. e me levantei só, negando sua gentileza. - o que você faz aqui? - perguntei. - Eu trabalho aqui - respondeu sorrindo. - e onde estar minha mãe?. - ela foi ao banheiro -respondeu - sorte a dela, que choque seria ver o filho dela dando cabimento para um aluno. - como é?! - perguntei. Mas logo me virei para o deixar só. Ele me seguiu com o ...
«123»