1. O nosso amor a gente inventa...14


    Encontro: 14/06/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Romance; Gays / Homossexual; Gays / Homossexual; Caio, Autor: Gordin.leitor, Fonte: CasadosContos

    Rasgue a camisa enxugue meu pranto como prova de amor mostre teu novo canto - CAPÍTULO – 14 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx - Caio: Não, eu ainda sou virgem! – Ele ficou vermelho ao admitir, mas fazia total sentido pelo que ele me contava de sua vida, sem amigos antes de Mauricio e até eles dois só tiveram pouco tempo quando resolveram admitir o sentimento que tinham um pelo outro. Tive vontade de rir pela postura que ele adotou, mas achei que seria muita afronta de minha parte. Resolvi deixar passar. Ele disse: - Você não vai falar nada sobre isso? – O que ele queria que eu falasse? Não havia nada a ser dito, isso não é defeito. - Eu: Caio, mas o que eu posso dizer? Isso não é nada demais. - Caio: Claro que é. - Ele parecia um pouco zangado. - Eu: Ei moço, olha pra mim – Disse segurando o seu rosto com as duas mãos – Eu sei que você acha que isso importa, mas o que eu quis dizer é que pra mim não importa nem um pouco. - Ele ainda parecia zangado. - Caio: Hum... Sei... - Eu: Caio, é sério. Não fica assim. O sexo não é tão importante. - Caio: É, mas você e o Xande viviam aqui pra isso. – Porra! Golpe baixo. - Eu: Sabia que isso iria se virar contra mim em algum momento, acho melhor eu ir embora e depois nós conversamos. - Caio: Não Jaiminho, me desculpa não quis te ofender, mas você não imagina o ciúme que eu sentia quando ouvia vocês. Me desculpa mesmo. - Eu: Caio eu imagino o quão difícil devia ser, mas não fala mais assim comigo! - ... Caio: Tudo bem, desculpa. Poxa eu sou um bruto mesmo. - Eu: É você parece ser um bruto, mas não é. – Eu nunca conseguiria sentir raiva dele mesmo. – Eu posso te abraçar? – O rosto dele desanuviou imediatamente. Veio em minha direção com uma feição feliz, mas ainda estava meio nervoso, me envolveu em seus braços e seu nariz veio ao meu pescoço, era muito bom abraçar o meu gigante. Naquela noite ele me convenceu a acompanha-lo a academia. Chegando lá fiquei observando ele de longe, via as gotinhas de suor descendo em suas costas, os cabelos de sua franja colando na testa, seu rosto vermelho com a barba mal feita, mas que estava mais do que linda. Via que ele me olhava vez ou outra, num determinado momento vi um rapaz conversando com ele e eu não me reconheci, fui em direção a eles dois para saber o que conversavam, ciúme é isso mesmo Jaime? Quando ia chegando o rapaz se afastou, quis voltar mas Caio me pegou no caminho. - Caio: Jaiminho o que você queria? - Eu: Só saber onde tem um bebedouro, estou com sede! - Caio: Vem, eu te levo. – Antes de chegar eu dei um jeito de saber quem era o rapaz, claro que tentando de todas as maneiras ser discreto. - Eu: Quem era aquele rapaz que estava falando com você? - Caio: Ele estava me perguntando sobre o Xande, eles dois malham juntos de vez em quando. - Eu: Com o Xande? Qual o nome dele? - Caio: Tá com ciúmes? – Disse ele com deboche, mal sabia ele que era ciúme dele e não do Xande. - Eu: Claro que não, só estranhei porque o Xande nunca me ...
«1234»