1. Síndrome de Estocolmo I


    Encontro: 14/06/2017, Categorias: Heterossexual, Submissão, Dominação, Estupro, Fetiches, Oral, Infidelidade, Traição / Corno, Autor: jornalista77, Fonte: CasadosContos

    susto. Em seguida, foi ao banheiro se lavar. Viu sua mão coberta de esperma e a levou ao nariz. Cheirou e gostou. Encostou a língua e provou. O gosto era esquisito, amargo. Se lavou e voltou pra cama. Sarah acordou primeiro que Spider. Ele a abraçava por trás e ela se virou, lentamente, para não acordá-lo. Antes de se levantar, olhou pra ele, seu corpo nu e seu pau amolecido, caído de lado. Passou a mão pela sua boceta e notou que ainda estava melada do gozo maravilhoso que tivera na madrugada. Sua mão ainda estava com o cheiro do esperma dele. Levantou-se e foi ao banheiro. Tomou um banho e parou na frente do espelho, nua. Observou seu corpo, o acariciou timidamente, mas logo um sentimento de culpa lhe invadiu. Ela se ajoelhou e fez suas orações. Em seguida, vestiu-se, prendeu o cabelo como de costume, mas desta vez colocou um pouco de perfume. Há tempos, ela não fazia isso. Saiu do quarto e foi à cozinha. Jéssica já havia acordado e estava fazendo café. – Bom dia, Jéssica – falou. – Bom dia, irmã. Eu estava lhe esperando para fazermos nossa oração matinal – respondeu. – Não se preocupe. O Spider está dormindo e, quando acordar, vai querer o café pronto – disse. – Ele ainda está dormindo? Vamos aproveitar essa chance e fugir, irmã. Eu corro rápido e posso chegar à porta da rua bem ligeiro. Ele jamais vai me pegar – falou Jéssica. – Não, você não vai fazer isso. Você vai fazer o café da manhã como eu falei – determinou Sarah. – Mas, irmã, não podemos perder essa chance – ...
    argumentou Jéssica. Sarah se aproximou dela e segurou seu ombro. – Você não vai fazer nada sem a minha permissão, entendeu? Ele mandou nós ficarmos aqui e nós vamos obedecê-lo, Jéssica – afirmou Sarah. – O que aconteceu com a senhora, esta noite, irmã? Não quis rezar para purgar sua alma dos pecados da luxúria em ter traído o irmão Davi, se recusa a fugir e está até usando perfume como uma mulherzinha qualquer – indignou-se Jéssica. Sarah lhe deu um tapa na cara. – Me respeite. Não se esqueça que eu sou sua patroa. Não admito que fale assim comigo – esbravejou para surpresa e perplexidade de Jéssica. Spider estava ouvindo aquilo tudo por trás da porta e se divertia com a atitude de Sarah. Após o tapa, entrou na cozinha somente de calça, sem camisa. – Bom dia, minha princesa. Acordei e não vi você na cama. Fiquei com saudade – falou, abraçando Sarah e espalmando sua bunda. – Eu estou acostumada a acordar cedo e não sabia se podia acordá-lo também – respondeu. – Depois do que você me fez ontem à noite, pode fazer o que quiser comigo – afirmou ele. Sarah ficou encabulada com o comentário dele, mas não disse nada, apenas se entregou ao abraço dele, correspondendo ao seu beijo. Jacó acordou e o casal ficou brincando com o menino até depois do almoço quando ouviram a campainha tocar. Spider ficou sobressaltado e Sarah pediu que se acalmasse. Foi até a janela e viu um homem de paletó e dois policiais. – É a polícia – avisou ela. Spider sacou a arma e Jéssica apareceu na porta da sala. – ...
«1234...»