1. Orgia em família - Aceitação 2


    Encontro: 14/06/2017, Categorias: banheiro, boate, Incesto, Pai, Heterossexual, Autor: Gsafadinha210, Fonte: CasadosContos

    Eu ainda não estava acreditando que eu tinha feito isso com meu próprio pai. Quando meu cérebro voltou a raciocinar, eu pulei do colo do meu pai, eu estava atordoada. - O quê que eu fiz ? Meu deus, isso é mentira, não pode ter acontecido. - Aconteceu e foi maravilhoso. - Não, isso é errado. - Valentina, não adianta você negar uma coisa que você é, tá no seu sangue. Você é igual a sua mãe, uma puta. - Não, eu não sou. - Você sabe que é, revise tudo que você já fez, você vai ver que eu falo a verdade. Agora eu já vou, quando você si aceitar, você me procura. Ele saiu do meu quarto e eu me joguei na cama chorando. Isso é mentira, eu só posso te tido um pesadelo, mas sabe o que é mais estranho, foi que eu gostei e eu queria de novo. Pensei tanto que eu dormiEu acordei era umas oito da noite, levantei, fui pro banheiro, tomei um banho, depois fui pro closet, vesti um body cinza decotado de manga cumprida, short branco jeans curto, uma bolsa pequena preta, coloquei uns acessórios, depois fiz uma maquiagem preta, calcei um tênis branco e sai do quarto e desci pra sala. Eu pensei bastante sobre tudo que aconteceu, eu decidi que eu vou curti minha vida sem pensar no amanhã, eu estava sendo hipócrita, eu sou safada, adoro sexo, sou uma completa puta. Eu desde treze anos já gostava de atiçar os meninos, sempre gostei de ser chupada nos seios, sempre gostei de chupar pau, então não vai ser agora que eu vou me fazer de puritana. Eu ia sair pra balada com as minhas amigas, mas antes ... íamos comer um japonês, quando cheguei na sala, estavam meu pai, minha mãe, meu irmão e o Arthur. - Boa noite pra todos. - Boa noite. - Vai pra onde filha ? - Vou sair com as meninas mãe. - Não vai comer nada antes de sair ? - Não, nós vamos comer um japonês pai. - Vocês vão pra qual balada mana ? - Ainda não sei mano. - Você tá linda Vale. - Obrigado Arthur. Agora eu já vou, beijos. Eu fui pra garagem, o Vinicius estava lá. - Vini, me leva naquele restaurante japonês que eu sempre vou. - Sim senhorita - Ele abriu a porta pra mim, eu entrei no banco de trás, ele fechou a porta, entrou na frente e deu partida. No caminho eu fui conversando com as minhas amigas, elas já estavam me esperando lá. No caminho todo eu percebi que o Vinicius estava me olhando, dei uma risada baixa, quando chegamos na frente do japonês, desci do carro e falei pra ele que não precisava vim me buscar. Entrei no restaurante, procurei minhas amigas com os olhos, logo avistei elas e fui em direção à mesa que elas estavam sentadas. - Oi suas putianes. - Oi vagabunda. - Já pediram ? - Não, estávamos esperando você. - Nossa quanta educação, até parece que são educadas. - Mas nós somos. - Até parece. - Chamem o garçom - Luíza chamou o garçom, ele veio até nós, fizemos os pedidos e quando ele saiu ficamos conversando. Decidimos que iríamos pra uma boate aqui na barra mesmo. Nossa comida chegou, comemos enquanto conversávamos, quando terminamos, pedimos sobremesa, depois dividimos a conta e fomos pra boate. A ...
«1234»