1. Mamãe, minha mestra no sexo — parte 2


    Encontro: 13/06/2017, Categorias: Incesto, Autor: dora, Fonte: ContoErotico

    Mamãe, minha mestra no sexo — parte 2Depois daquele dia em que ela me ensinou tudo sobre chupetas e boquetes, eu não vejo a hora de iniciarmos aulas mais afoitas e excitantes. Mas parece que tudo está atrapalhando, nossos horários desencontraram e já faz uma semana que estou na maior agonia e batendo muitas punhetas em lembrança a ela. Sábado com certeza estaremos juntos, já combinamos pelo msn. Fiz umas extravagancias, comprei vinhos, quero uma noite magistral com direito a um bom vinho para elevar os ânimos, ela merecia esse momento, faríamos um delicioso ritual ao sexo. Não via a hora de ter aquele corpo colado ao meu e meu cacete, que já está duro, estiver todinho naquela deliciosa buceta.Ela entra pela porta exatamente as sete horas da manhã, atira o jaleco branco no sofá e fica parada, pois viu meu movimento de ir a seu encontro. Foi o beijo mais delicioso que já dei em minha vida, ficamos ali um bom tempo e depois ela disse.— Que saudade, meu filho! — Semana terrível de longa, mas estamos aqui, vamos nos banhar.Foi foda, meu cacete estava trincando de duro, até tirar a roupa estava difícil. Ela sorriu ao ver a situação e depois de segurar ele, disse.— Afobadinho, veja esta babando o malandro. — Que delicia de cacete. Nos esfregamos ensaboados e por fim ela se abaixou e foi demais. Caralho como minha mãe sabe fazer um boquete delicioso, ela engolia meu cacete e babava feito louca e novamente chupava todo e nesse vai e vem alucinante ela me levou a uma ejaculada ... estrondosa, gemendo adoidado, enchi sua boca gulosa. A porra ainda escoria pelos cantos dos lábios e ela se levantou e ao me beijar deixou a porra descer em minha boca e depois perguntou.— Gostou da sua porra? Sorri e confirmei e ela disse. — Tem que acostumar que farei muito disso. — Agora vamos tomar café que estou morrendo de fome. Preparei a mesa e seu leite com chocolate. Já estávamos terminando quando soou a campainha, olhamo-nos, não esperávamos ninguém e nem estávamos vestidos adequadamente. Ela ajeitou o vestido curto e eu só de bermuda fui atender. Era uma prima, fiquei com raiva, ia estragar meu final de semana. Depois de me beijar ela foi até minha mãe e claro percebeu que ela estava quase nua e disse.— Gostei! — Estão bem à vontade. Minha mãe sorriu e disse. — Acabei de chegar do plantão e voce que faz aqui? Ela não se deu por acha e respondeu. — Segunda vou prestar um concurso e resolvi fazer uma visitinha para vocês, desculpa não avisar, será só dois dias. Olhou com aquela cara lavada e perguntou. — Titia se for atrapalhar eu vou para um hotel. Imagina o que aconteceu, minha mãe aceitou a visita. Fiquei trincando de ódio daquela garota, subi para o meu quarto vermelho de raiva. Na hora do almoço minha mãe me chamou e disse.— Ela foi até o mercadinho pegar refrigerante. Me beijou e disse. — Não fique com raiva dela, quem sabe ela te console. Olhei admirado por minha mãe falar aquilo e disse. — Ela jamais vai querer transar comigo, e eu quero voce! Beijei seus lábios e ...
«123»