1. uma mulher normal...


    Encontro: 12/06/2017, Categorias: Heterossexual, Traição / Corno, Trabalho, Casual, escondido, Autor: homem.erectus1, Fonte: CasadosContos

    Vou relatar algo que aconteceu comigo de forma inesperada e até de forma inocente. Eu trabalhava em uma empresa havia três anos e apesar de ter várias colegas de trabalho, eu nunca tentei nada com alguém. Até por que eu já tinha namorada. Uma destas colegas que eu chamarei de Cristina sempre foi muito atenciosa comigo, daquelas que se podia conversar sobre qualquer assunto de trabalho, relacionamento, sexo, etc. Ela era bem casada e bem resolvida, tinha um sotaque de interior bem característico e também era bem divertida. Cristina tinha 37 anos era branca, cabelos pretos na altura dos ombros. Não chamava atenção pelo corpo, mas eu classifico ela como simpática. Nunca usou roupas que realçasse seu corpo - usava sempre calça e camisa. Não usava roupas decotadas. Ou seja, se vestia de forma adequada ao ambiente de trabalho. Um dia ela conta pra todos que ia mudar de trabalho, pois havia recebido uma proposta melhor. Eu brinquei falando que ela devia pagar um almoço de despedida pra mim a título de indenização por ter suportado ela por tanto tempo. Falei isso sem maldade. Mas, passados alguns dias ela me cobrou o almoço. Eu não levei a sério e dizia que ia marcar e tal. Depois de um mês ela saiu do trabalho e não almoçamos. Então um mês depois eu recebo uma ligação dela perguntando se eu não queria almoçar, pois ela iria estar próxima do meu trabalho. Falei que estava sem carro, mas que não iria trabalhar no período da tarde e por isso poderia almoçar tranquilos. Combinei tudo e ... ela passou pra me pegar e fomos pra um restaurante localizado em outro bairro. Ela estava vestida do modo que sempre se vestiu, ou seja, calça e camisa. Almoçamos tranquilos e conversamos bastante. Terminamos de almoçar e dentro do carro ela perguntou pra onde nós iriamos. Eu sei entender pedi para ela me deixar perto de um ponto de ônibus pra eu ir pra casa. Então ela me perguntou se não queria ficar com ela mais um pouco pois estava sem ter o que fazer. Eu falei que tudo bem e perguntei pra onde ela queria ir. Ela neste instante se irritou e perguntou se eu não tinha percebido que ela era a fim de mim. Eu fiquei surpreso e um pouco sem ter o que fazer. Mas rapidamente puxei ela e dei um beijo bem gostoso. Ela então mais calma ela disse que ali não era o local ideal e me levou para um motel. No motel eu ainda estava surpreso com a situação. Ela veio e me beijou sofregamente e meu pau ficou duro como pedra, ansioso pra se libertar da calça. Ela ainda estava de roupa e tratou de tirar. Sem aquela calça e camisa, ela mostrou ser uma mulher com belo corpo: seios fartos, pernas bem torneadas, uma buceta bem feita com pelos apenas na parte de cima e raspadinha na parte de baixo. Me surpreendi com seu corpo e sua pele macia e cheirosa. Ela então tirou minha roupa e começou a falar sobre sacanagens com uma linguagem que eu não imaginava que sairia daquela mulher. Ela disse que era uma puta e queria foder muito. Eu fiquei surpreso, pois nem dava para imaginar aquela mulher bem casada ...
«123»