1. Irmão e Cunhada


    Encontro: 12/06/2017, Categorias: Incesto, Autor: gostosaooo_, Fonte: ContoEroticoComBr

    (Escritos por: Fernanda) Irmão e Cunhada Chamo-me Fernanda e tenho 18 anos. Tenho os cabelos castanhos, olhos verdes, um rosto de boneca, bunda redonda e bem durinha, seios médios e firmes, cintura fina e pernas torneadas. Tenho orgulho do meu corpo e posso me considerar, sem nenhuma modéstia, uma mulher muito gostosa. Perdi minha virgindade aos 16 anos e de lá para cá tenho estado excitada quase que 24 hs por dia, (risos)…. Adoro sexo, as preliminares, o clima que antecede à transa, e finalmente a penetração. Não sou nenhuma ninfomaníaca e também não sou nenhuma putinha. Todas as minhas transas foram com os namorados e só depois de um tempo de namoro. Como estou sem namorado, estas coisas só ficam na lembrança e como dizem, estou subindo pelas paredes. Meu irmão é o Rafael (Rafa), de trinta e dois anos. Rafael é um cara super lindo e cobiçado. Loiro, corpo largo e atlético, sarado, como se diz hoje. Ele está noivo da Aline, uma loira linda, de parar o trânsito, super gente boa, 24 anos e devo salientar que ela me parece muito safada. Ela tem cara de ser um vulcão na cama. Eles formam um casal muito bonito. Já estão de casamento marcado, já compraram o apartamento e estão, aos poucos, mobiliando-o. Ele tem um escritório de advocacia, juntamente com o seu amigo de infância. Estão indo muito bem na profissão, ganhando super bem com as causas em que trabalham. Devo esclarecer que, antes disso tudo acontecer, nunca nutri pelo meu irmão qualquer fantasia sexual, até que um belo ... dia….. Trabalho no escritório do meu irmão, como estagiária, e a noite faço faculdade de direito, primeiro ano. Toda sexta feira, quando saio da aula, vou direto para casa, tomar um bom banho e esperar os telefonemas das minhas amigas, para podermos programar nossa noite. E não foi diferente dessa vez. Estava saindo do escritório, quando ouço meu irmão me chamando e dizendo que iria comigo pegar o ônibus, pois o carro dele estragou e como a nossa casa fica no caminho da faculdade, lá fomos nós. Já no ponto do ônibus, por se tratar de uma sexta feira, fila para entrar. Conseguimos entrar logo no primeiro que passou, mas lá dentro ficamos que nem uma sardinha dentro da lata, todo espremido. Passamos pela roleta, consegui um lugar perto da porta, em pé, e meu irmão logo atrás de mim. Nos acomodamos e o ônibus só enchendo, e enchendo cada vez mais, até que não cabia mais ninguém lá dentro. Meu irmão, querendo me proteger, assim penso eu, se colocou bem atrás de mim e sem querer me encoxou e num movimento brusco do ônibus, senti aquele volume na minha bunda e um arrepio subir pela minha espinha. Como estava sem sexo já fazia algum tempo, acendi o farol na hora como nunca antes. Estava com uma calça de sarja branca, não muito apertada, mas um pouco enterrada, e senti perfeitamente aquele membro ainda mole apontando para baixo. Senti muito tesão, mas ao mesmo tempo muito nervosismo. Até aquele dia nunca tinha me acontecido nada parecido, ainda mais com o meu irmão. Não sei o que me ...
«1234...9»