1. Nossa estória – 84 – Flagrados na prainha


    Encontro: 12/06/2017, Categorias: Exibicionismo, Fetiches, Heterossexual, Autor: Marido.liberal, Fonte: ContoEroticoComBr

    Depois que transamos pela primeira vez fomos ficando mais desinibidos e ousados. Não diria que éramos exatamente exibicionistas mas as circunstancias nos lavava a nos expor. Com pouca (pra não dizer nenhuma) grana, namorávamos no carro na beira da praia a noite, era o nosso “motel das estrelas”, ou numa prainha deserta de dia. Uma vez estávamos nessa prainha, ela é cercada de montanhas e só tem acesso pelo mar ou por uma trilha muito pouco conhecida e de difícil acesso que passa na entrada de uma espécie de gruta num dos lados da praia. Chegamos cedo, não tinha nem marcas de pegadas na areia, estendemos uma canga perto da gruta e ela ficou deitada no sol, fui dar um mergulho e pegar onda, depois de algum tempo me deitei ao lado dela e começamos a “nos pegar”, afastei a parte de cima do biquíni e beijava seus peitinhos maravilhosos com as marquinhas de sol que tanto adoro, enfiei a mão por dentro do biquine acariciando os pelinhos, ela rindo se levantou correndo me chamando de safado, logo a agarrei, e disse que queria mergulhar com ela nua e fui desamarrando os laços do biquine, ela segurou minha mão e ela mesma tirou as duas partes deixando sobre a canga, correu para a água, eu arranquei minha bermuda e a sunga e fui atrás já de pau duro, abracei ela por trás apertando os seios, meu pau entre suas pernas, ela rebolava e empurrava seu corpo de encontro ao meu acariciando meu pau, eu tentava penetra-la mas a água estava funda dificultando muito. Saímos da água e fomos para a ... gruta, encostei ela de costas numa pedra me abaixei e comecei a lamber sua bocetinha salgada do mar enquanto apertava os biquinhos dos seios fazendo ela gemer, ela puxava minha cabeça forçando na sua bocetinha, me levantei, ajeitei meu pau na entradinha e fui forçando, a posição não estava legal e arranhava as costas dela na pedra, então ela se virou de costas para mim, inclinou o corpo pra frente apoiou as mãos na pedra abriu as pernas e arrebitou a bunda, olhou para trás mordendo os lábios se oferecendo, segurei pelos quadris encostei meu pau na entrada da boceta já melada de tesão e enfiei de uma vez só ate o talo, segurei firme e fiquei parado todo enterrado dentro dela, ela deu um gemido alto e eu senti sua bocetinha “piscando” como se estivesse mastigando meu pau, ela relaxou e puxou o quadril pra frente, deixei meu pau escorregar para fora e ela empurrando o quadril pra trás engoliu meu pau de novo, sincronizamos nossos movimentos e começamos a acelerar, comecei a acariciar aquela bunda linda marcada pelo biquine, ela diminuiu um pouco o ritmo, seu cuzinho me hipnotizava. Passei os dedos ao redor, ela parou e empinou mais a bunda rebolando bem de levinho, não resisti e enfiei o dedão, ela levou um susto se contraiu e levantou o corpo, segurei ela pelo ventre ainda com o pau enterrado na boceta e o dedo no cuzinho encostei meu peito nas suas costas comecei a beijar sua nuca e orelha, ela relaxou, eu empurrei pra se apoiar novamente na pedra, ela sussurrou “Vai de vagar”, ...
«123»