1. Aventura com bonequinha dotada na praça pública


    Encontro: 12/06/2017, Categorias: Travestis, Autor: bradallan, Fonte: ContoErotico

    Vou contar a vocês um relato que aconteceu comigo num local público já faz um tempo atrás, mas compensa ser compartilhado. Sou de São Paulo, eu estava retornando do trabalho, estava dentro do trem que estava mais ou menos cheio e eram umas 20h e pouco. Reparei que uma mina de uma certa distância estava me encarando e naturalmente a encarei também para ver o que rolava. Estávamos em pé, ela estava com um vestidinho e logo desconfiei que era uma trans. Acho que como os olhares combinaram, aos poucos ela se aproximou até chegar atrás de mim e com os freios bruscos do trem, ela aproveitava o impulso para encostar o seu vestido no meu corpo e às vezes de leve ela me roçava propositalmente, dava para sentir os seios tocar nas minhas costas e senti pressão do dote dela me tocar. Realmente era uma travesti! O encosto dos seios e o leve toque do dote atrás de mim me deixou bastante excitado. Virei o rosto para ela e murmurei baixinho: Adoro uma bonequinha igual você. Seu dote está me deixando com tesão, roça mais em mim que adoro! Humm, foi a deixa para ela encochar aquele dote na minha bunda com mais vontade, às vezes ela pegava na minha cintura e rebolava gostoso. Falei para ela que eu estava com tesão danado com tudo aquilo e ela falou também que estava super excitada. Descemos na estação seguinte que era São Miguel Paulista e a levei para uma pracinhaque tinha do lado da estação. Já estava escuro e não estava cheio o local, o que facilitou a nossa aventura. Escolhi um ponto mais ... discreto possível da praça, do lado deuma árvore. Com coração pulsando misturado com o medo de sermos flagrados e aquele tesão incessante, puxei o seu vestidinho para cima e o dote duro dela estava pulsando dentro da sua calcinha. Abaixei a parte da frente da calcinha, e apareceu um caralho enorme e duro, por volta de 23 cm, calculo. Aproveitei, tirei o meu dote também e prensei a minha rola com a dela, rolou um frotage e tasquei um beijo de lingua na boca dela e pegava nos seus seios médios. Ainda com medo de um flagrante, ajoelhei-me com intenção de mamar aquele caralho enorme, duro igual uma rocha, com tesão pulsante, e reparei que a cabeça estava todo melecado. Foi um impulso a mais para abocanhar aquela tora que estava mirando a minha boca e pedindo para ser engolido. Uma delícia de ser mamado. Passei a lingua em toda a sua rola e deixei bastante babado. Em um determinado momento, ela pegou nos meus cabelos e começou a socar na minha boca com intensidade, um vai e vem somado de altos gemidos. Pensei que era um desperdício jorrar todo aquele leitinho naquele momento, pois a intenção era explorar mais aquela preciosidade e como o tesão estava bem forte, falei que queria sentir aquele dote em mim. Ela concordou de prontidão e então terminei de tirar toda a minha calça, fiquei de 4 e pedi para que ela me enrabasse gostoso. Ela se ajoelhou e sem camisinha ainda, ficou me castigando brincando com aquele pauzão na entrada do meu cu e esfregando na lateral da minha bunda, igual ...
«12»