1. A BUNDA MAIS BONITA QUE COMI


    Encontro: 11/06/2017, Categorias: Incesto, Autor: walterquervoce, Fonte: ContoErotico

    Na juventude bati muitas punhetas pensando no rabo da minha irmã mais velha.tinha uma bunda linda, aliás aquilo não era uma bunda era um monumento a bunda. Redonda, empinada, no tamanho certo. Ela tinha uma cintura fina. Eu ficava pensando em agarrar aquela cintura por trás e invadir aquela bunda maravilhosa.Criei coragem e quando minha irmã ia tomar banho eu pelo buraco da fechadura ficava espiando.Lisinha, sem uma marca. Quando ela ensaboava aquela bundona maravilhosa, eu pensava que estava comendo aquele cuzinho lubrificado pelo sabonete.E batia muitas punhetas.Teve um dia que eu não me contive e passei a mão e apertei aquela bundona. Ela ficou furiosa e me deu um tapa na cara.Nunca mais tive coragem de passar a mão mas eu sempre a espionava.O tempo passou me casei. Minha irmã também casou.Eu comia o cuzinho da minha mulher, mas sempre imaginando comer o cuzinho da minha irmã.Houve um final de ano que resolvemos reunir toda a família, num sitio muito agradável e perto havia um riacho com um pequena cachoeira.Convidei minha mulher, meus cunhados e irmãos para conhecer a cachoeira, mas todos estavam cansados e só minha irmã aceitou.Entramos na agua, com roupa, eu estava de calção de futebol e camiseta. Minha irmã com um short de ginástica e uma camiseta também.Levei algumas latas de cerveja e bebemos. Nossos assuntos no inicio eram exclusivamente voltados a família. Mas depois das cervejas. a coisa foi mudando. Ela me perguntou: Lembra do dia que eu te dei um tapa na cara? ... Claro que sim. Foi um tapa e tanto, mas valeu a pena, consigui passar a mão na sua bunda que eu deseja há muito tempo. KKKKKKKKKK E você ainda gosta da minha bunda? Continua linda disse eu. Aí ela me confessou que seu marido não gostava, que ela já tentara dar o cuzinho pra ele e ele não quis. Fomos chegando mais perto um do outro. Aí eu fiz um pedido pra minha irmã. Deixa um passar a mão e apertar sua bunda. Ela deixou. Ainda de short, passei a mão delicadamente sentindo o calor daquele monumento. Apertada cada glúteo. Aí ousei, maninha, tira o short. Ela tirou. Pedi que empinasse ainda mais aquela bunda já empinadinha pela natureza. Cheguei o mais perto que pude. beijei muito, mordisquei, e enfiei minha língua naquele cuzinho. Ela suspirou e disse como é bom. Disse-lhe que podia melhorar ainda mais. Nos deitamos na relva, ela virou aquele orifício dos meus desejos. chupei bastante até lubrificar bem. Fui penetrando lentamente. Eu mordiscava seu pescoço e com meu dedo indicador eu massageava sua buceta. Ela suspira, esta doendo, mas é tão gostoso. Come o cuzinho de sua irmão, fode gostoso. Meu pau entrou por inteiro, minhas bolas batiam em sua bunda. Eu não acreditava que estava comendo aquela bundinha pela qual já tinha batido tantas punhetas. Gozei gostoso, a maior gozada que tive em toda vida. Foi tanta porra que escorria daquele cuzinho que duvidava que tinha gozado uma única vez. Ficamos ali por mais algum tempo, nos beijamos como se fôssemos namorados, chupei seus seios ...
«12»