1. SURPRESAS DO CORAÇÃO - PARTE XXVII


    Encontro: 10/06/2017, Categorias: felicidade, Amor, pegação, harcore, Sexo, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Grey, Fonte: CasadosContos

    XXVII Distanciou-se do meu corpo e em contemplação ficou me admirando. - O Engenheiro é um cara bonito. – Avaliou. – Ombros largos, peitoral, barriga tanquinho. Barba bem feita, rosto bonito. O Engenheiro tem cara de rico. Esbocei uma risada. - Não acredita, mas tem. - Eu cara de rico? Não. Sou muito comum. - Tá dizendo. Não é por isso que vamos teimar. – deu-me um beijo no rosto e ergueu-se. - Espera um pouco que vamos continuar brincando. – Pelado saiu em direção a cozinha. O grandão retornou conduzindo á mão com uma cestinha contendo chocolate, cubos de gelo e vinho. Ele foi chegando já mandando: - Deita de bruços no sofá. Fiz como ele determinou. Observei que o pau dele tinha perdido a altivez. Estava bambo. Ainda assim, era imponente, e tinha um tamanho considerável. Mauricio pegou cubo de gelo e introduziu com cuidado dentro do meu cu. Ao sentir gelo dentro de mim um gemido escapou pelos meus lábios. - Humm. - Moço fica de boi pra mim. Melhor. Fiquei de boi sobre o sofá, contudo ele não se agradou. - Fica com o joelho sobre o sofá e a outra perna no chão. Ok? - Tu és quem manda. Fiquei do jeito que ele estabeleceu. O gelo há esse tempo dentro de mim derretia. - Cuspa esse gelo pra mim. Cuspa. Cuspi com o cu o gelo para fora. Ele pegou o gelo e meteu na minha boca. - Sinta teu gosto safado. Gosto de cú. Mauricio pegou outra pedra de gelo e inseriu dentro do meu rabo. E determinou: - Segura o gelo aí dentro. O gelo foi derretendo, tão verdade que água vazou do meu cu. ... Sentir Mauricio inserindo o dedo no meu cú. Tremir. O grandão pegou outra pedra gelo e colocou na minha nuca. Tremir. Meu cú estava geladinho. Minha nuca estava geladinho mesmo assim eu evaporava de fogo. Um fogo me queimava os sentidos. E aumentou imensamente quando a boca de Mauricio sorrateiramente triscou minha orelha concomitante seu pau deslizando na minha bunda. Freneticamente esfregou seu pau no meu bumbum. Fui a outro mundo e voltei. - Porra! - Vamos voltar para o tapete moço. Sentaremos um de frente para o outro. Tá? - Ok. Sentamos um de frente para o outro. O grandão pegou um gelo, passou nos meus mamilos, chupou demoradamente, me deixando maluco. - Tô doido pra ti me comer moço. - Não é tempo. Excitado ele pegou o chocolate e deu na minha boca. Beijamos-nos sentindo o amargo do chocolate em nossas bocas. - Safado. – Ele falou lambuzando o dedo no chocolate e inserindo na minha boca que com voracidade o chupo. - Muito gostoso. - Humm... Faltou mel. – analisou. - Tive uma ideia, na ausência do mel... Não é ortodoxo, mas nada que estamos fazendo não é. – Deixou chocolate cair no seu pau. Foi à deixa que eu esperava. Não poderia deixar o chocolate estragar. Assim sendo, depressa comecei a lambê-lo. Lambi. O chocolate era amargo, envolto da cabeça do pau do grandão havia uma porção evidente que pingava. A cada ação para limpá-lo do chocolate Mauricio pulsava na minha boca. Sinal que minha boca o estimulava deveras. O grandão de propósito derramou chocolate enquanto ...
«123»