1. Caçadores de Recompensa - As termas


    Encontro: 09/06/2017, Categorias: termas, comédia, Sexo, caçadores de recompensa, Grupal, Autor: Oliveira Dan, Fonte: CasadosContos

    O sol despontava no horizonte e seus raios clareavam o quarto. Lobo teve uma longa noite para conseguir capturar a recompensa. Não que tenha sido um sacrifício ter algum prazer com ela, longe disso. O problema é que por não ter alguma relação há tempos, a recompensa resolveu descontar o tempo perdido numa só noite. Ela só foi dormir quando a madrugada ficava cada vez mais gelada. Lobo não. Embora estivesse cansado, não podia dormir. Temia que sua tão procurada recompensa escapasse. Ela era astuta, já escapara diversas vezes, frustrando os planos do caçador. Mas dessa vez não escaparia. —"Hump, parece tão tranquila enquanto dorme. Olhando assim, ninguém suspeita que é uma vadia inconsequente e arrogante quando está acordada "— pensava o caçador enquanto analisava a mulher deitada a sua frente. Lobo estava sentado numa cadeira ao lado da cama onde os dois pulsos da recompensa estavam algemados. Ele havia virado a cadeira, fazendo com que o encosto lhe servisse de apoio para descansar os braços, e apoiando o queixo nos braços cruzados em cima do encosto, descansava sua cabeça. Estava entediado. Ficou assim por longos minutos, que posteriormente se tornaram horas, até que a recompensa começasse a dar sinais de que despertaria. — Bom dia — disse a mulher toda manhosa. — Capturada! — disse Lobo exibindo um sorriso triunfante e sem se dar ao trabalho de ser educado. — O quê?!... — só então a mulher se deu conta de sua situação. Ela estava semi vestida e com seus braços presos ... acima da cabeça por duas algemas. — Seu filho da puta, eu não acredito nisso! Quando você...?! — a mulher tentava s soltar, chacoalhando diversas vezes seus braços e mãos. — Você é esperta. Quer mesmo que eu responda? — Lobo continuava na mesma posição e com a mesma fisionomia tediosa. — Me cansou, esperou que eu dormisse e me algemou. Isso não foi muito nobre de sua parte, não acha?— — Você não pensava em nobreza enquanto saía roubando por aí. Podemos dizer que somos "iguais", então não tente se fazer de vítima —. — E como você pretende me tirar daqui sem que eu encontre uma oportunidade de fugir? Já pensou nisso, espertão?! — debochou a mulher. — Simples: te mato. A quantia será um pouco menor se estiver morta, mas... Acidentes acontecem não? — — Você não teria coragem de matar uma mulher —. — Vai querer apostar?... — Lobo foi interrompido por duas batidas na porta. Rômulo entrou no quarto já iluminado pela luz solar. — Finalmente capturada — Lobo virou seu rosto, exibindo um sorriso triunfante. O plano havia dado certo. — Finalmente! Se te escutasse reclamando novamente de como ela misteriosamente sumiu, te jogaria no próximo barranco que visse —. — Ei! Cala já essa boca!— exclamou Lobo, que se levantou rapidamente da cadeira. — Tá, tá bom. Parte da missão está cumprida. Mas como vamos levá-la? —. — Não se preocupe. Vou dar um jeito —. Lobo alongava as costas e os braços. Estava dolorido e cansado. Horas sem mudar de posição, sem dormir e depois de sexo acabam com o corpo de ...
«1234...24»