1. Tpoía XIV


    Encontro: 07/06/2017, Categorias: Sexo, Morte, Romance, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Gui's, Fonte: CasadosContos

    Teseu: não terminei, se Tróia cair, fuja com ele, e as crianças pela passagem das montanhas, e quem mais conseguir Heitor: não vai acontecer nada Teseu: quero que jure! Heitor: juro por minha vida Teseu: fico mais tranquilo, agora vamos. Ectório: finalmente chegaram Heitor: desculpe pai , estávamos conversando Teseu: mas porque reuniu a família inteira ? Ectório: eu tenho um anúncio a fazer, decidi que quando essa guerra acabar passarei a coroa para você Teseu Teseu: mas pai.... Ectório: eu estou velho e cansado, gostaria de passar o tempo que me resta nessa mundo tranquilamente Teseu: está certo Ectório: e tem mais uma coisa , Helena vai partir para Esparta em companhia da rainha Olympia Olympia: tenho certeza que vai gostar de viver lá querida Helena: acredito que sim senhora. Heitor : pai e nossa prima? Ectório: eu realmente não sei o que fazer meu filho Ganimedes: eu vou falar com ele Teseu: nem pensar que deixarei você fazer isso Heitor: fora de questão, crumm crumm, digo é perigoso , desculpe irmão Teseu: o fato é que, não permitiria isso Ganimedes: eu o conheço, tentarei argumentar com ele, implorar pelo seu bom senso Teseu: é uma coisa que aquele homem não tem, além do mais ele pode lhe fazer mal Olympia: eu não deveria me meter nesse assunto mas, ele não faria mau nenhum a Ganimedes Teseu: como a senhora sabe? Olympia: você sabe a resposta Teseu: infelizmente sim, e por isso que ele não vai ! O assunto está encerrado. Teseu se levantou e saiu da sala nervoso ... Ectório : bom parece que acabamos , podem ir Quando eu estava no corredor Heitor me pegou pelo braço e disse Heitor: preciso falar com você Ganimedes: aqui não Heitor: nos meus aposentos então Ganimedes: não sei se ficaria bem Heitor: bobagem venha Acompanhei Heitor até seus aposentos, e realmente era bem diferente do que tinha imaginado , o mármore branco criava um belo contraste com as colunas e cortinas azuis, algumas armas penduradas na parede, um pequeno busto de bronze de uma mulher perto de sua cama de ébano negro. Heitor: entre fique à vontade Ganimedes: o que queria me dizer , Heitor: que depois de tudo isso terminar eu irrei embora Ganimedes: embora? Para onde? seu irmão precisa de você Heitor: não, não precisa, ele tem você e as crianças , e francamente se não fosse esse cerco em já tinha ido, ver você ao mesmo tempo tão perto e tão longe de mim, me faz morrer por dentro a cada dia, e a melhor coisa que posso fazer é matar esse amor Eu sentia uma angústia no peito, eu gostava da amizade de Heitor, embora soubesse de seus sentimentos, e ficar sem ele por perto seria difícil. Ganimedes: eu sinto muito ser a causa desse sofrimento, sentirei muito sua falta , mas não posso obriga-lo a ficar, não posso te dar falsas esperanças Heitor: meu irmão é um homem de sorte, espero que saiba reconhecer a jóia que tem. Ganimedes: espero que encontre o amor novamente meu querido Dizendo isso levantei, e beijei sua testa Ganimedes: que os Deuses te guardem, e lhe tragam toda a felicidade ...
«123»