1. Como me apaixonei por um escritor da CDC - Capítulo 22


    Encontro: 06/06/2017, Categorias: encontro, namoro à distância, Amigos, Destino, Romance, Amor, Sexo Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Nando/Nan, Fonte: CasadosContos

    Nando - Vontade de matar você! – ele fala e eu sorrio o fazendo sorrir também – Mas minha vontade de te beijar está muito maior! - Então me beija porra! Eu não viajei 1000 km pra sair daqui sem provar tua boca! – eu falo olhando em seus olhos castanhos marejados, meu Deus como ele era lindo! Como um raio minha boca grudou a boca dele, fazendo ambos suspirar alto, ele enrola seus braços em meu pescoço e eu abraço sua cintura trazendo seu corpo mais pra perto de mim, logo sua língua encosta a minha, seus lábios eram tão macios em contraste com sua língua áspera, fui me soltando aos poucos, meu coração acelerava conforme nossas bocas dançavam, comecei a sentir sua excitação e a minha começou a dar sinais de vida. Minhas mãos começaram a percorrer seu corpo descendo até aquela bunda maravilhosa, nosso beijo foi ficando mais urgente mais voraz, ele puxava meu cabelo e eu apertava seu corpo junto ao meu, fazendo ambos gemerem baixo. Eu não conseguia pensar em mais nada, só o quanto era maravilhoso aquele garoto em meus braços, fui ficando sem ar mas não queria parar, eu queria aproveitar cada segundo daquela viagem ao lado do meu marrentinho. Comecei então a dar selinhos, mordia seus lábios, fui descendo até pescoço, beijando, mordendo, ele ali tão vulnerável ao meu toque suspirava molinho em meus braços, nem parecia a fera que ele aparentava ser. Sua pele estava muito quente, seu cheiro era de sabonete misturado com desodorante, fui tirando sua camiseta precisava sentir mais da ... sua pele dourada, sua barriga definida linda, o peito estufado de academia, seus braços musculosos, mas na medida certa... Mordi meu lábio olhando cada parte daquele garoto. Eu queria ter ele pra mim, mas fiquei com medo de estar indo muito rápido, não queria que ele imaginasse que eu estava ali só pelo sexo, era a primeira vez que estávamos frente a frente. Separei-me um pouco dele, nós dois respirando alto e fundo, não haviam mais lágrimas e sim sorrisos satisfeitos, tentei me recompor, porém meu pau marcava muito em minha calça, percebi que o dele também não estava diferente era tão grande quanto o meu, ele deve ter percebido a mesma coisa porque mordeu o lábio e respirou mais fundo ainda, como se segurasse também. Ficamos segundos naquele impasse, estávamos mudos porém nossos corpos demostravam o que ambos queríamos, eu queria ele ali não me importava como, eu só precisava estar dentro dele e como se ele lesse meus pensamentos , balançou a cabeça em negativa, soltou um “foda-se” e logo após foi baixando sua calça de moletom, eu pude ver sua ereção perfeitamente desenhada naquela cueca cinza. A partir desse momento foi como se um animal estivesse apossado da minha mente, eu parti pra cima dele abocanhando sua boca com vontade, ele foi abrindo minha calça, me guiando para seu quarto e só parou quando o joguei em cima sua cama. - Tem certeza disso marrentinho? – eu pergunto rouco de tesão, respirando alto, parecia que havia corrido uns 8km. - Nando não tem noção do quanto eu ...
«1234...7»