1. A Dor de um Segredo


    Encontro: 06/06/2017, Categorias: Traíções, Segredos, Amor, Sexo, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Bruno Del Vecchio, Fonte: CasadosContos

    A Dor de um Segredo Capítulo I Meados de 2005 Algumas pessoas me chamam de antissocial. Eu diria que apenas me poupo de sofrer mais do que já sofri. Sempre fui uma criança diferente das demais e isso me trouxe e sérios problemas. A falta de amigos é uma delas. Mas não me importo, é que encontrei nos livros um meio de suprir essa carência. Estava em casa quando decidi que iria a meu cantinho preferido para ler meu livro. Ele fica a três quadras de onde moro. Sai e fui caminhando até lá. Sentei sobre a sombra de uma árvore centenária e comecei a ler. A leitura estava tão boa que nem percebi que as horas tinham se passado rápido demais. Já estava escurecendo e logo eu teria que voltar para casa antes que meus pais dessem por minha falta. Sem que eu percebesse uma pessoa se aproximou sorrateiramente me pegando de surpresa. - Ai que susto! Quem é você? – Falei levantando rapidamente. - Quem sou eu? Isso ainda não importa... Se não percebes já está escurecendo e é perigoso para uma criatura indefesa. - E por que a preocupação com minha pessoa? Para lhe informar, indefeso é um adjetivo que não se atém a mim. Se me der licença eu preciso ir. Ao tentar passar por ele o mesmo se pôs na minha frente e olhou fixamente em meus olhos. Eu logo senti um frio na barriga, eu não sabia quais eram suas intenções a meu respeito. Porém devo confessar que ele me despertou algo ao qual eu vinha reprimindo há tempos. - Eu não permiti você sair daqui sem antes me dar algo que eu quero há tempos... ... Tentando imaginar o que ele queria de mim e ao mesmo tempo inebriado pelo seu olhar sedutor, não me dei conta de que sua mão direita levemente foi para trás de minha nuca. Sentir o toque de sua mão sobre minha pele me fez arrepiar, ele me puxou para si e envolveu sua mão esquerda na minha cintura. Nossos olhares novamente se cruzaram e sem esperar ele me beijou. Após alguns segundos de um beijo intenso e bem sensual consegui me desvencilhar dele. Com o corpo todo trêmulo sai correndo sem olhar pra trás. - Espera! Você deixou seu livro cair... – Falou o rapaz. Fiquei tão transtornado que nem me toquei que havia deixado para trás meu livro. Levei os dedos a meus lábios ainda não acreditando no que acabara de acontecer. - Quem é você Alasca? Romance de John Green... Então ele gosta de ler livros de romance... Bom saber. – Falou o Rapaz com o livro na mão. Meio desnorteado ao chegar a minha casa, dei logo de cara com o meu pai. - Aconteceu algo Miguel? – Indagou-o. - Nada demais! Se precisar de mim estarei em meus aposentos... – Falei subindo ligeiramente a escada. - Eu precisarei viajar... Voltarei depois de amanhã! – Falou seu Antenor vendo o filho subir as escadas. Mais que depressa adentrei meu quarto e tratei logo de fechar a porta. Recostei-me à porta e dei um longo suspiro sendo seguido de lágrimas. Perto dali estava o rapaz observando o movimento da casa, em suas mãos estava o livro de Miguel. Logo ele avistará o Pai de Miguel sair carregando uma mala. Mais que depressa ...
«12»