1. Meu vício é você! CP. 9


    Encontro: 05/06/2017, Categorias: Mentiras, Declaração, Reconciliação, Gays / Homossexual, Beijo, Lésbicas, Gays / Homossexual, Autor: Dotosa, Fonte: CasadosContos

    " vocês realmente acharam que podiam se esconder por muito tempo? Até que foram pra um lugar bem protegido, mas cansei dessa brincadeira de gato e rato. Agora que os achei é só dar o bote, mas calma, tudo tem seu tempo. Saiba que ainda estou magoado, como puderam sair de casa daquele jeito? Sabendo de tanta coisa. Éramos uma família perfeita, mas você estragou tudo, nunca te perdoarei por isso. são uma ameaça pra mim, mas logo logo vamos nos entender, certo? Papai ama vocês." A carta tremia em minhas mãos, duas lágrimas seguidas caíram em cima das letras que estavam em um tom preto, não sabia oque fazer então a amacei jogando numa gaveta. Ele não podia está fazendo aquilo denovo, não podia arruinar minha vida mais uma vez, sem mais nem menos, sem piedade, sem ao menos lembrar de tudo que vivemos do quanto eu o amava, mesmo depois de tudo, não conseguia tirar aquela imagem de herói que havia feito quando criança. Não conseguia entender o porquê era tão difícil de ele me aceitar e porque gostava de nos fazer sofrer. Entrei no banheiro e liguei o chuveiro deixando a água quente cair sobre mim, com a esperança de que ela levasse tudo aquilo que me atormentava, tudo aquilo que a anos não me deixava dormir direito, mas foi sem sucesso. Decidi não contar nada a minha mãe, faria de tudo para resolver sem a prejudicar. Dois dias se passaram e minha preocupação aumentava cada vez mais, naquela manhã fui fazer um trabalho de modelo pra uma marca de cuecas, e sinceramente, ficava ... impressionado pelo fato do meu corpo continuar definido depois de tanto tempo sem academia, quando cheguei vi minha tia fazendo café. - o eletricista está lá no seu quarto. - Você que está pagando?- falei enquanto subiamos. - Não, chamei os donos da casa.- entramos no meu quarto e lá estava ele, olhando todo o trabalho que o homem fazia com os fios, Taylor usava um short jeans com uma camisa pólo, seu cabelo estava bagunçado como se tivesse acabado de acordar. Quando percebi que um sorriso se formava no meu rosto voltei ao normal, antes que ele percebesse que tinha influência sobre mim. - Com licença.- ele deu dois passos para trás me observando, peguei uma muda de roupa e fui direto pro banho, torcendo para que quando eu saísse não estivesse mais ninguém lá, não queria poder o ver e não toca-lo, não queria estar tão perto e ao mesmo tempo tão longe dele. Quando sai encontrei Taylor sentado na cama olhando para as próprias mãos que faziam movimentos contínuos. - Tudo bem?- sua atenção se voltou pra mim - Não.- o olhei confuso.- Podemos conversar? - Claro.- tranquei a porta e me sentei na cama. - Desculpa, perdi a cabeça aquele dia, não devia ter saído da festa nem ter te deixado ir sozinho.- um suspiro longo saiu de sua boca.- Briguei com você.- ele se aproximou.- Estava nervoso aquele dia e vi que quem te beijou foi ele, mas não consegui me controlar. - Tudo bem, está desculpado.- me levantei colocando a toalha na cômoda. - Não queria que parecesse estranho, mas te vi alguns dias ...
«1234»