1. Da sala de leitura para o banheiro


    Encontro: 05/06/2017, Categorias: Teens, morena de pele clara, Oral, Heterossexual, Autor: Joe, Fonte: CasadosContos

    Quando mais jovem (mais precisamente 3 anos atrás) eu estava em uma idade que tudo que eu queria era comer alguém, acho que todo mundo passa por isso, uma certa pressão em fazer parte de uma minoria que ainda não fez sexo, na escola princpalmente na rodinha que os garotos fazem pra falar putaria do tipo: quem comeu quem, chupou quem e coisa do tipo. Enfim, é algo que incomoda, não ter o que falar, não ter experiência pra compartilhar te deixa, digamos que sem muito conceito no meio deles, mas essa nem é a principal razão, o negócio é mais querer comer uma moça mesmo, a mão já não satisfaz mais e o pornôs só aumentam a expectativa da primeira transa. Nesse dia, a escola estava bem agitada, as turmas de toda a escola se enfrentavam em jogos interclasses todos pareciam bem dispostos a esta ali no meio da muvuca com cheiro de suor e um barulho insuportável de vozes agudas misturadas a o som de uma música eletrônica qualquer, aquilo não era pra mim. Em toda a escola só consegui achar um único lugar que era relativamente quieto, na realidade estava mais pra "menos agitado", esse lugar era a sala de leitura, não foi surpresa ver que estava vazia com exceção de uma moça de cabelos negros e encaracolados que lia um livro que não consegui identificar. Sua pele era morena entretanto bem clara ela tinha um sinal perto da boca e não pareceu ter notado a minha chegada nem eu fiz questão de me anúnciar, detesto quando me interrompem a leitura. Ela levantou os olhos do livro e me fitou com ... certo interesse e então disse. - Por favor, tranqueba porta se não daqui a pouco esse lugar vai estar cheio. - eu não via como aquele lugar poderia ficar cheio, menos de 0,5% da escola lia alguma coisa que não fosse uma placa ou fachadas. - OK. - respondi e fechei a porta girando a chave que estava já na fechadura, procurei um lugar para me sentar e resolvi sentar bem em sua frente, queria me aproximar, não era sempre que você ficava sozinho com uma garota bonita. Ela ergueo os olhos do livro mais uma vez e sorriu pra mim como se estivesse lendo meus pensamentos. - Você já leu esse livro? - ela me mostrou o livros de capa beje com uma flor negra no centro. - Não são muitas pessoas que conseguem ler Baudelaire. - respondi sorrindo e entusiasmado por acharmos algo em comum, passamos bastante tempo conversando sobre livros, passamos pra filmes, pra séries e de repente um sentimento de amizade começou a se formar, comecei a observar a forma como ela sorria e era angelical, normalmente qualquer uma alvo da minha imaginação, mas com ela funcionava diferente não conseguia de forma alguma associar sexo a ela e isso deve ter sido bom porque ela provavelmente perceberia minhas intenções ( sou um livro aberto). Estávamos sorrindo e ela parou e fechou o livro o levantando pra guardar, a sala era bem organizada e deixar o livro fora do lugar resultava em pena, mas não via motivo pra se preocupar com isso já que a professora estava na quadra servindo de árbitro para um jogo de vôlei que ...
«123»