1. Prisioneiras na Colombia (Conto com fotos e vídeo)


    Encontro: 05/06/2017, Categorias: Hetero e Lesbico, Prisioneiras, Colombia, Anal, Heterossexual, Autor: Mod e Lyz (Secret Island), Fonte: CasadosContos

    Recebi hoje por correio o relato abaixo e um vídeo que repasso a vocês. A autora diz que tem outros vídeos e relatos sobre o que se passou lá..... Relato com fotos e vídeo (no email, se pedirem) . Meu nome verdadeiro não posso revelar, mas me chamem de Lyz, pois este é o nome que usei na Colômbia. No final dos anos 90, eu tinha 18 anos e pertencia a um time de Basquete na minha cidade. O time vinha ganhado espaço e vencendo sucessivamente os campeonatos locais e depois estaduais. Acho que chamamos a atenção de algum cartola de basquete da Colômbia pois recebemos um convite para irmos jogar contra um grande time local. . Nas nossas férias de julho, 10 meninas incluindo eu todas de 18 anos e uma supervisora de 21 embarcamos num avião para Bogotá e lá chegando fomos muito bem recepcionadas. Jogamos 2 dias depois contra o melhor time da cidade e demos uma surra nelas, que saíram vaiadas pelos próprios colombianos, do estádio deles. . (Fotos no conto por email) . No dia seguinte, já de malas prontas, nos colocaram num ônibus com destino ao aeroporto, e a bordo nos serviram um suco de laranja muito gostoso, mas... que continha um sonífero potente que nos fez desmaiar a todas em poucos minutos. . Quando acordamos, estávamos todas nuas e com as mãos amarradas, numa sala escura e poeirenta, com parca iluminação. De frente para nós uma colombiana morena com cara de lésbica mais má que a Carla Zéfira dos contos de vocês e também um cara esquisito com cabelo preto comprido preso num ... rabo de cavalo, sem camisa e portando uma sub metralhadora. Ficamos aterrorizadas e nem ousávamos falar. . (Fotos no conto por email) . A megera, depois soubemos, se chamava Esmeralda, e era amante de um dos maiores traficantes da Colômbia, e a quem pertencia o clube de basquete das meninas que derrotamos. Esmeralda ordenou ao cara de rabo de cavalo que nos ordernasse a ficar em pé, e ele o fez nos assustando com sua arma. Estavamos todas geladas de medo. . Então Esmeralda foi examinando a nós todas, detendo-se de vez em quando numa ou noutra garota, apalpando seus seios ou a fazendo mostrar a bunda. Que mistura de vergonha e medo estávamos sentindo... Que iriam eles fazer com a gente. . Daí a megera me escolheu e me arrastou pra fora da casa onde havia uma varanda com grades brancas e lá me fez subir numa banquetinha e amarrou minhas mãos à grade. Daí apareceu um sujeito grandalhão de camisa florida, calças brancas e sandálias, que soube depois ser o tal traficante, e ele se sentou numa cadeira estilizada ao lado da banquetinha onde eu estava amarrada. Ficou me examinando detidamente e então fez um sinal pra Esmeralda dizendo: - Está bien. Esta já me sirve. Vamos a ver como és la boquita y el culito de una brasileña..... Comecei a chorar, pois até aquela época eu ainda era semi-virgem e estava salvando meu cabaço do cu para o meu namorado. O máximo que eu fazia era tocar punhetinha nele e na véspera da viagem deixei ele me enfiar a piquinha dele só até encontrar o cabaço, mas ...
«1234»