1. Masturbação


    Encontro: 03/06/2017, Categorias: Fantasias, Autor: Writing Yaoi, Fonte: ContoEroticoComBr

    Na cozinha Kazuo mostrara a Hayato como cortar alhos, e tirar a casca do tomate. Mas foi surpreendido quando o garoto fez de uma das cascas uma flor e deu-lhe para provar. A casca, ainda salpicada com a água do fruto recém lavado, em contraste com os dedos tão pálidos aproximaram-se de seu rosto. O rosto de Hayato mostrava alguma expectativa de que aceitasse dar-lhe de comer, e mil pensamento passaram por Kazuo. Entendia que o menino estava confuso ainda, o que justificava suas ações. Mas não era um menino, não estava confuso, e todas as suas ações não seriam justificadas ou… “Ah… que se dane este inferno” pensou Kazuo. Abocanhou a flor e as primeiras falanges dos dedos de Hayato, com sabor de tomate e alho, tão frios da água e do suco da fruta. Lisos, sem calos ou cicatrizes. Kazuo deixou-lhe tocar sua boca, sua língua. Será que já tocara a boca de alguém, de alguma garota talvez? Ou será que não imaginava, e a sua era a primeira pessoa que ele gostaria de tocar? Será que tocava a própria, quando ia dormir, imaginando como seriam outras, molhadas e aquecidas? Imaginava agora que seus lábios eram os de Koji? A ideia alterou Kazuo totalmente, derrubando o sentimento – que inesperadamente nascia – ao chão. – Baka (idiota). O que está fazendo? – Kazuo. – Nunca fiz uma flor de tomate tão bonita assim no colégio. Minhas aulas de culinária são sempre ruins. Mas cozinhar aqui é… diferente da escola. É a primeira flor aceitável que fiz, quis dá-la a você, por me ajudar, já que não ... posso agradecer de outro modo, no momento. – Hayato. – Baka badi (idiota passarinho). Não precisa me agradecer por nada. E a partir de agora terá ótimas notas em culinária. Voltaram, aos poucos, ao momento anterior em que cozinhavam em parceria, aproveitando para deixar tudo pronto para o preparo do jantar. Serviram à mesa e sentaram-se um diante do outro, diferente do dia anterior e ao que Kazuo preferiu. Não saberia como se conter caso aproximasse-se mais de Hayato. – Itadakimasu (obrigado pela comida). – Kazuo. – O-oi, porque agradece hoje? – Hayato. Kazuo ergueu o queixo, como quem orgulha-se de dizer algo importante. – Agradeço hoje pela ajuda em cozinhar, e ter com quem comer. Hayato, tímido, coçou atrás da orelha com a risada sem graça, trazendo recordações de quando era Kazuo que agia de mesmo modo. Comeram conversando sobre filmes e livros que preferiam. Descobriram seus gostos musicais, e comidas que mais gostavam, e em seguida assistiram a um jogo de futebol que não eram seus preferidos. Kazuo bebia pouco, Hayato tinha alguns chips, e falaram mais dos seus times favoritos do que assistiram o que era transmitido. O dono da casa decidiu que deveriam dormir mais cedo, antes que sua cabeça saísse do controle embora a desculpa tenha sido de que sairiam cedo pois a escola de Hayato era distante. O menino não o questionara, e tomou seu lugar no sofá, após comerem a sopa de inhame que adorara. Com a comida tão quente na noite que começava a esfriar, adormeceu logo ainda que ...
«12»