1. VIREI A PUTA DO MEU CONCUNHADO


    Encontro: 02/06/2017, Categorias: Sacanagem, Traição / Corno, Traição / Corno, Sexo a dois, Heterossexual, Autor: JANETH, Fonte: CasadosContos

    Confesso que até o reveillon de 2015 jamais passaria pela minha cabeça fazer o que estou fazendo. Muito menos teria a coragem suficiente para escrever a minha história e publicar num site de contos eróticos. Mas, a partir da primeira semana de 2016 tudo mudou radicalmente na minha vida. Então.... comecemos pelas apresentações: Eu: Adoro praia. Trabalho duro durante dez meses por ano. Nada mais justo gozar de umas merecidas férias no meu confortável apartamento no 11º andar, de frente para o mar. Acima de mim apenas a cobertura com piscina, churrasqueira e salão privativo de festas que compartilho, não por coincidência ,com a família da irmã do meu marido que, diga-se de passagem, não é muito interessado em curtir a praia, preferindo subir a serra junto com minha filha adotiva, na segunda feira de manhã para trabalhar e voltar só no sábado pela manhã. Assim, de segunda a sexta feira eu fico completamente sozinha com meu casal de companheiros: O Sol e a Brisa. Originalmente sou castanha clara, mas meus cabelos vivem mudando de cor, grandes olhos azuis-safira, tenho 47 anos, 1,61 m de altura, 51 kg bem distribuídos em meu corpo torneado, seios, barriguinha e pernas firmes, apesar da idade. Meu marido: Eu, então com 24 anos, cursava o ultimo ano de Contábeis e não conseguia entender o que aquele “senhor” maduro, vinte anos mais velho que eu, discreto, sempre vestido com calça e camisa social, fazia lá no meio dos mais jovens. Quando ele levou um esbarrão na cantina da faculdade, ... derramou refrigerante no meu vestido e nas roupas dele. Foi esse acidente que nos fez conhecer um ao outro. Contou-me que era advogado, dono de um conceituado escritório de contabilidade e cursava Economia por que pretendia atuar na área tributária. Para mim era conveniente me aproximar dele pois afinal seria uma possível vaga de emprego no escritório dele, o que se efetivou no mês seguinte à minha formatura. Com a convivência diária me contou que era recém-divorciado e tinha três filhos já adultos. Minha competência profissional me propiciou evoluir na empresa e, seis meses depois de admitida eu já era a contadora oficial da empresa com a atribuição de gerenciar todas as suas atividades. Com a convivência se estreitando, três anos depois, acabamos por nos casar. No casamento descobri que ele era muito conservador, sistemático acreditando ser um sol onde todos os que o rodeiam tem que gravitar. E ainda por cima vasectomizado, o que nos fez adotar uma linda menina, hoje com 20 anos. Com relação a sexo é muito puritano e a transa que rolava era apenas convencional, tipo papai-mamãe, vira de lado, deita e dorme. Muitas vezes sem sequer tirar todas as roupas. Eu nunca acreditei naquela historia de fogos de artifício na hora de gozar: Eu nunca tinha visto ! Sexo para ele não é prioridade, preferindo trabalhar até altas horas da noite. Até que ele se desinteressou de vez. Fazem mais de cinco anos que ele não chega perto de mim, quanto mais me comer. A cunhada: Dois anos mais jovem ...
«1234...»