1. A lourinha traçou o amigo do irmão


    Encontro: 02/06/2017, Categorias: Teens, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (Escrito por Kaplan) A lourinha tinha um irmão que tinha um amigo e no qual ela ficou fissurada quando o conheceu, da melhor maneira para se conhecer alguém. O irmão convidara o amigo para passar um fim de semana com eles na casa que tinham fora da cidade, num condomínio. Dias de muito sol, piscina com a água na temperatura exata para ninguém querer sair de dentro dela. E o amigo usava uma sunga muito reveladora. E a lourinha encantou-se com a silhueta que viu dentro da sunga. E jurou a si mesma que ia conseguir traçar o amigo do irmão, ainda mais que notou que ele não tirava os olhos do corpo dela. Também pudera, com o biquíni que ela usava! O pai sempre reclamava que era uma indecência, mas já desistira de fazer a filha usar biquínis mais comportados. E a lourinha começou a ficar dentro da piscina toda vez que o amigo do irmão estava lá. Os pais dela não ficavam o tempo todo na piscina. Ficaram um pouco e logo entraram, ele foi ver televisão, ela foi supervisionar o trabalho da empregada encarregada do almoço. E na beira da piscina ficaram apenas os três, o irmão, a lourinha e o amigo. A lourinha não era de brincadeira. Sabia que o irmão não iria atrapalhar e nem dedurar. Sabia de alguns segredos dele que, se revelados, dariam muita dor de cabeça. Gostava muito dele, mas tinha esses trunfos na mão. Então partiu para o ataque. Esbarrava, “sem querer, querendo” nas pernas do amigo do irmão, aí dava um sorriso enorme para ele. Paravam de vez em quando no canto mais retirado ... da piscina e conversavam e quando ela sentiu que dava pé, abriu o jogo, falou que estava a fim. – Temos de dar um jeito, garoto, mas você não me escapa! – E quem te disse que eu quero escapar? Riram e ele manifestou apenas a preocupação pelo local onde estavam e pela presença dos pais. – É, com eles aqui fica mais difícil, mas não impossível. Fique atento, quando eu sentir que vai dar, te aviso. – Vê lá, garota. Não estou a fim de criar problema… – Pode ficar tranquilo, sei o que faço. Agora fique quieto que eu quero fazer uma coisa. Mergulhou e foi ao local que desejava, a região do corpo dele que a entusiasmara. Pegou no pau dele, enfiando a mão dentro da sunga. Ele quase endoidou. Que maluca! E se os pais aparecem ali! Mas gostou da brincadeira. Só não pôde sair da piscina naquele momento porque o pau endurecera bastante ao toque das mãos dela. Teve de nadar mais um tempo até que ele voltasse ao normal. Dali a pouco o almoço foi servido e ele ficou sentado de frente para ela. Ficou difícil suportar o pé dela passeando pelas suas pernas, o sorriso maroto que ela lhe enviava… mas já estava doido para ela encontrar um jeito de eles ficarem. Depois do almoço a chance surgiu. Os pais subiram para o quarto, foram tirar uma soneca, que era habitual. Ela sabia disso e na mesma hora sinalizou para ele e foram para o quarto dela. O irmão entendeu o que iria acontecer, ficou na sala vendo televisão. E eis que encontramos os dois já nus, na cama dela, evitando fazer barulho, mas se ...
«12»