1. O Ensino Médio de um Bissexual - Parte VIII


    Encontro: 01/06/2017, Categorias: conflitos, Traição / Corno, amores, Sexo, bisexualidade, Adolescentes, adolescência, Gays / Homossexualidade, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Iago ♥, Fonte: CasadosContos

    *Continuação* *** - Você acha o que, Gabriel? - indaguei ele. - Nada não, dorme aí que você parece que está com sono. - ele me diz, me abraçando e meio que me enconchando. Então eu dormi, sentindo aqueles braços me abraçarem e aquele perfume dele que mesmo após uma transa exaustiva ainda permanecia no ar e em seu corpo. Acordei e olhei direto pro meu celular, lá marcava cerca de 12:30, era hora do almoço e eu ainda estava deitado na cama dele. Levantei, vesti minha calça e meu tênis, ficando só sem camisa, me dirigindo até a sala onde ele estava vendo séries na TV. Olhei pra ele e sorri dizendo: - Eu dormi de mais... - Dormiu nada. - me responde sorrindo. Sento do lado dele no sofá e dou um beijo caprichado nele de surpresa, ele retribui e ficamos ali dando alguns pegas no sofá. Depois de alguns minutos ele me taca pro lado, dizendo: - Ala, você me fez perder metade da série! - Desculpa. - lhe respondo. Ele sorri de novo e me abraça. Ficamos ali abraçados assistindo alguns episódios de Supernatural, até que surgiu novamente a fome e eu fui pra cozinha preparar algo pra comermos. A mãe dele não almoçava em casa, e só voltava a tarde, então tínhamos toda a tarde pra aproveitarmos. Eu estava ali, preparando um macarrão ao molho quando ele vêm e me abraça por trás, chupando meu pescoço e dizendo: - Seu pescoço tá todo vermelho e roxo. - O QUE? - digo a ele assustado. - É, ué, tá todo roxo. - Deixa eu ver isso no espelho. - segui em direção ao banheiro. Chegando lá pude constar ... outros chupões no meu pescoço de novo. Eu grito: - GABRIEEEEEEEEEEEEEL! E ele lá da cozinha começa a dar risada, rindo sem parar, eu fico desesperado mas fazer o que, a merda já estava feita. Volto pra cozinha e digo: - Cara, você tem que parar de fazer isso... - Por que? HAHAHAHHAAHHA - ele ria desesperadamente. - Nada não. - respondo ele. Após eu preparar o almoço, sentamos na mesa e almoçamos. Após acabarmos eu ajeito toda a louça que havia deixado na pia, afinal, a ideia foi minha e eu tinha que assumir toda a responsabilidade. Nisso já era umas 15:30 e eu estava triste por ter que ir embora dali. Eu realmente não estava se importando com famílias e amigos que havia deixado na minha cidade, ficar ali com Gabriel era perfeito. Eu e ele tínhamos um laço muito grande, algo que atraía ele pra mim e eu era atraído pra ele. E esse laço estava cada vez mais forte, algo mais intenso que o normal. Aquele desejo que tinha começado na balada estava aumentando a um ponto de eu confundir sentimentos do Pedro com ele. Eu não sabia se gostava do Pedro ou do Gabriel, mas acho que o Gabriel estava tocando mais meu coração. Então eu liguei pro meu pai, pedi pra ele vir me buscar. Gabriel diz: - Você já vai mesmo? - Vou, amanhã eu tenho aula cedo e a semana é complicada. - respondo ele triste. Após eu dizer isso ele me abraçou forte, me deu um beijo e disse: - Eu quero você sempre perto de mim, não importa o que aconteça. Eu te amo! Eu fiquei meio que sem reação mas no final disse: - Gabriel, ...
«123»