1. Puta


    Encontro: 01/06/2017, Categorias: Fetiches, Autor: Chris gostosa, Fonte: ContoEroticoComBr

    Antes de tudo, irei me apresentar: me chamo Hyan, 19 anos, moreno, olhos castanhos claro, boca carnuda, forte, sarado, e um dote de 24cm. Vamos ao conto! Vou relatar aqui aconteceu no ano passado. Como de costume, em todos carnavais viajo. E não gosto de ir sozinho, muito das vezes pago acompanhantes, porém desta vez foi diferente… Numa terça-feira, liguei pra tal garota que atendia pelo nome de Isabelle, que a companhia dela me custaria R$ 7500,00 pelos 5 dias, aceitei mas deixei claro que queria exclusividade, que fosse somente minha. (Um pouco possessivo, confesso!) – Tudo certo isa? – Ta sim, te espero na sexta, lindo. Passou a semana e na quinta a noite arrumei minhas coisas e fui pra Campinas, minha casa lá, onde à encontraria. Cheguei na cidade e liguei perguntando onde morava pra ir busca-la. Fiz o trajeto imaginando a garota, como ela seria pessoalmente, estava ansioso pois essa era diferente da que ia comigo na maioria das vezes. Chegando em frente sua casa liguei novamente avisando-a que estava ali em frente. Abriu o portão me convidando a entrar, desliguei meu carro e entrei, quando a vejo minha pica começa a dar sinais de vida. Uma garota loira linda num vestido, com olhos verdes, boca com lábios levemente torneados, cochas grossas, peitos médios, bumbum arrebitado, corpo de quem malha, isso tudo com apenas 21 aninhos. Quando a vi ate limpei minha boca pensando estar babando de tão linda era. Comprimentei com um beijo no rosto, bem formal, e conversamos um ... pouco, perguntou o que eu fazia falei que era filho de um empresário bem sucedido que dava mais importância à empresa do que seu filho, disse que era filho único e que minha mãe tinha falecido já a algum tempo, e retribui fazendo a mesma pergunta: ela disse que saiu cedo de casa, seu padrasto batia nela e em sua mãe e fugiu, viro garota de programa sem querer, precisava de dinheiro pra sobreviver e não pensou duas vezes. Conversa vai, conversa vem até que ela fala q iria ao banheiro: – Vou no banheiro ta lindinho, já volto. Fique à vontade. – Nossa se eu for fica à vontade fico pelado! – Até que não é má ideia. Me olhando com cara de safada e um sorriso de lado. Fui a cozinha beber água e quando volto lá esta ela em frente um espelho se olhando, admirando. Cheguei por trás dela agarrando sua cintura fazendo meu pau se encaixar na sua bunda farta, ela solta um suspiro e fala: – Nossa!! Dei um beijo no seu pescoço que arrepiou ela inteira, virei e a beijei, um verdadeira guerra de língua, a coloquei na mesa que tinha ali perto e me encaixei entre suas pernas, e fui passando minhas mãos em seu corpo, até que ela tirou minha camisa, arranhando minhas costa. O beijo cada vez com mais tesão e decido por a mão por entre as pernas e num é que a Putinga já estava dem calcinha, meti um dedo sem dó, no meio do beijo ela deu um suspiro. Comecei a masturba-la, ela passando a mão por cima da minha calça, ate que pois a mão por dentro acariciando minha rola que já estava quase saindo da calça, ...
«123»