1. Sacanagem no meio da rua


    Encontro: 26/05/2017, Categorias: Fantasias, Autor: Anjinha Safada, Fonte: ContoEroticoComBr

    Olha só…estou de volta! Isso aconteceu comigo há pouco mais de um ano. Meu irmão mais novo se casou em agosto de 2013,aos 23 anos.A esposa dele é 5 anos e alguns meses mais velha,e é uma verdadeira mala.Agora piora:já veio trazendo uma bagagem grande:uma mãe chata pra caralho e quatro filhos pentelhos,um de cada pai.Nenhum deles é do meu irmão. Ela não gosta muito de mim por eu ser extremamente liberal.E eu também não gosto dela por ela ser muito preconceituosa.Pronto,empatamos.Ela tem pavor de gays,e eu sou bissexual (coisa que ninguém da minha família sabe),além de ter muitos amigos gays e ceder pro meu melhor amigo,o Breno,minha casa pra ele trazer o parceiro dele,o Thiago.Até já o levei pra cama uma vez junto com o Bruno,meu “marido”,e fizemos a festa. Eu e o Bruno fomos chamados pra ser padrinhos do meu irmão,e aceitamos.Tudo bem que o preço a ser pago seria aguentar a mala que era a velha (hoje desconfio que o mal dela tenha sido falta de uma boa trepada)e uma amiga da minha cunhada que havia conseguido me tirar do sério na minha festa de aniversário três meses antes e ganho de presente um belo soco no meio do focinho,mas eu iria encarar. A cerimônia foi em um salão de festas (meu irmão se tornou evangélico,e ficou pior do que era).O pastor não parava de falar em Adão e Eva,o que já estava me dando no saco.Quase gritei pra ele fechar a porra da boca e ir logo pro “eu os declaro marido e mulher,pode beijar a noiva”,porque meu pai estava pagando o salão por hora.Meus ... pés já doíam em cima do salto,a fome estava me assolando e ninguém estava com paciência para aturar a cantilena do pastor. Assim que acabou a cerimônia e cumprimos o protocolo chato de todo casamento (fotos com os noivos,cumprimentos e o cacete a quatro),resolvi ir ao carro trocar de roupa.O vestido longo estava incomodando e o salto também,então fui trocar por uma frente-única vermelha de renda e um shortinho jeans preto e curto.Calcei um par de sapatilhas e voltei pra festa.O Bruno aproveitou e também mudou de roupa.O terno o incomodava demais (mesmo trabalhando no RH da empresa da irmã dele,a Érica,ele odeia usar terno e gravata) e ele aproveitou pra vestir uma camiseta,calça jeans e tênis. Na festa dançamos sem parar.Eu o provocava na pista de dança,na frente de todo mundo,e sem querer aticei os outros homens também.Ganhei o apelido de “O Diabinho do Shortinho Preto”,mas nem liguei.Se aticei os homens,irritei as mulheres.Uma ficou com tanto ciúme do marido por ele estar me olhando que atirou latinha de cerveja nele e acertou meu pai,que estava mais perto.O Bruno nem liga por outros homens me olharem.Ele sempre me diz que não se preocupa com isso,que eu devo valorizar o que tenho de bonito.Não sou lá uma deusa,mas tenho quadris largos e coxas grossas (107 de quadris e 79 de coxas),e os homens olham.Ele não liga com isso. Até o DJ começou a ficar olhando,e babando.Alguém pediu pra ele tocar o tal do “180,180,360” e eu,já meio alegre por causa da mistura batida de morango + ...
«123»