1. AOS PÉS DE CAIO – CAP 08 – HUMILHADO PELO RAFAEL


    Encontro: 26/05/2017, Categorias: silver tape, meias, pony, Traição / Corno, mestre, Anal, Oral, escravo, dono, pés, Humilhação, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Carlos Ferx, Fonte: CasadosContos

    Não conseguia acreditar que aquilo estava acontecendo, outro cara mandando em mim? E se ele me batesse? O que Caio faria comigo? Estava numa cilada. Apanhar ou apanhar muito? E agora? Minhas dúvidas foram sanadas por um forte tapa no rosto. __ Anda viado, não quero falar de novo. Num súbito, me coloquei de quatro e carreguei Rafael até a área da piscina. __ Ajoelha aí e da um trato nos meus pés, seja rápido antes que seu dono chegue. Os pés dele eram menores que o do Caio, mas conseguiam ser ainda mais lindo que o do meu dono. __ Cuida deles igual você cuida dos pés do Caio. Eu não tinha outra saída, tudo aquilo tinha que ser rápido. Comecei a lamber seus pés, chupar seus dedos, lambia entre cada dedo e enfiava seu calcanhar na boca. Ele estava deitado em uma daquelas espreguiçadeiras, acendeu um baseado e me deixou ali. Acho que fiquei uns trinta minutos lambendo o pé daquele moleque. __ Agora vem aqui e me faz uma chupeta gostosa. Anda! Disse ele enquanto me grudava pelos cabelos. Já de joelhos, coloquei seu pau na boca. Era imenso, bem maior que o do Caio. Com uma certa dificuldade coloquei todo na boca. __ Ai que delícia viado, que boca macia, é melhor que puta. Não é atôa que o cara lá te faz de capacho, cê é muito otário. Tirou seu pau da minha boca, fiquei um pouco aliviado e respirei melhor por uns segundos. Uma escarrada forte, lá do fundo, veio direto na minha cara. O cara estava cuspindo em mim, e rindo pra caralho. __ Continua o seu trabalho otário. Ele começou ... a forçar cada hora mais, me fez engolir aquele pau inteiro. Até que gozou, me fazendo engasgar e quase vomitar. __ Se gorfar apanha. Novamente sentou na espreguiçadeira, eu fiquei de joelhos e envergonhado. __ Vou te comer aqui mesmo, tira essa bermuda e senta na minha pica. __ Por favor cara, eu não posso fazer isso, meu dono deve estar chegan.. Pá! Um novo tapa no rosto. __ Não te perguntei nada. Cala a boca e faz o que eu mandei antes que eu te quebre. Com muita dificuldade sentei naquele pau enorme e grosso, na hora eu urrei de dor. Doeu muito, mas depois me acostumei e comecei a me excitar. __ Rebola no meu pau, rebola. Já estava entregue de prazer, comecei a fazer tudo que ele mandava. Começou a puxar meus cabelos e mordei minha orelha, meu pescoço, e acariciar meus mamilos. Com uma facilidade enorme, me tirou daquela posição e começou um frango assado, com meus pés em seus ombros, acariciou, beijou e mordeu. __ Puta merda viado, você todo é uma delícia. Te queria pra mim, pena que você já tem dono. Deu mais umas estocadas e gozou em mim, na minha barriga, minha cara, meu corpo todo. Eu estava muito excitado. __ Quer gozar viado? __ Quero, por favor! __ Então goza enquanto lambeu meu pezão. Já sabia o que fazer, me coloquei de joelhos e comecei a me punhentar enquanto lambia seus pés. Gozei horrores. Ele riu e novamente me chamou de otário e idiota. __ Agora sim, você esta livre. Mas vai me levar até em casa, de quatro. Novamente de quatro pelo condomínio, levei Rafael ...
«12»