1. Uma surpresa antes do trabalho.


    Encontro: 19/05/2017, Categorias: Travestis, Autor: BetoBH25, Fonte: ContoEroticoComBr

    Olá a todos os amigos aqui presentes, me chamo Roberto, 25 anos, moro em BH-MG, um cara normal, com 1,78 de altura, 75kg, sem essa de lindo e sensual, um homem simples e comum. Venho aqui relatar algo que aconteceu comigo ( real ) e que me fez ver a vida um pouco diferente. Aconteceu a cerca de 2 meses, pouco antes de entrar de férias, e deixo aqui meu relato. Trabalho de madrugada em um hotel, e quem conhece Belo Horizonte sabe que os estacionamentos a cada dia que passa ficam mais e mais abusivos. Para evitar gastos desnecessários, e pelo horário que me permite, vou ao trabalho de ônibus, onde gasto menos e evito passar raiva com estacionamento, trânsito e afins. Sempre vou ao trabalho um pouco mais cedo, faço um lanche perto do trabalho mesmo e começo assim minha longa noite. Uma sexta feira, comum até então, me banhei, organizei tudo e fui para mais uma jornada. Desci cerca de uma hora e meia mais cedo para poder lanchar, assistir um pouco de tv na sala dos ‘ funcionários ‘ e depois começar a jornada. Ao descer do ônibus, fui atravessar a rua e um carro cinza para a alguns metros de mim e buzina, e escuto uma pessoa chamar pedindo informações, mantive uma distância segura ( nunca se sabe quem é ) e fui tentar ajudar tal pessoa, escuro e distante, poderia ser qualquer um. Ao chegar mais próximo ao carro, todo o vidro desce e surge então uma ‘ boneca ‘, cabelos negros até o ombro, pele branca, batom rosa discreto, me perguntando o que fazia ali a noite. Fico ... desconfiado e pergunto se ela gostaria de alguma informação, direta ao assunto ela responde: – Quero sexo, apenas. Me ajuda? Fico surpreso, mas admito que senti aquela ponta de vontade, o pau da sinal de vida na calça social e eu falo que não poderia ajudar ( reação normal de quem nunca havia se quer falado com uma travesti ). Ela da um sorriso e diz: – Acho que quer me ajudar sim! E aponta para a calça, mostrando o volume dando sinal de vida. Eu fico sem jeito, e digo apenas: – Boa noite. E começo a andar sentido ao trabalho. Ela tira o carro, para ao meu lado e diz: – Entra, o que tu tem a perder? Vamos conversar, fazemos apenas o que quiser. Aquela pitada de curiosidade, vontade e tesão bate, e eu acabo entrando. Assim que entro, olho para ela e vejo suas coxas a mostra, meu pau então fica duro de vez, ela percebe meus olhares e minha vontade e fala: – O que quer fazer? Você manda. Eu meio nervoso, mas com muito tesão falo: – Vamos a algum local tranquilo, mas não tenho muito tempo. Ela arranca o carro, me levando até próximo a praça do Papa, onde tem várias ruas mais desertas, escuras, que ajudam a jovens casais liberarem suas vontades. Ela para o carro em uma dessas ruas desertas com pouca iluminação, passa a mão em minha coxa, em cima do volume de minha calça e sorri. Eu, olhando tudo aquilo começo a me sentir mais a vontade e passo a mão em suas coxas, lisas, brancas, volumosas. Arredo o banco para trás e começamos a nos beijar, minha mente a mil pensa ( O QUE ESTOU FAZENDO? ...
«12»