1. A exposição da minha cadelinha.


    Encontro: 15/05/2017, Categorias: Sadomasoquismo, Autor: Paula de Dom Jorge, Fonte: ContoEroticoComBr

    A exposição da minha cadelinha Há quem diga que prefira as formas esculturais, onde a beleza física seja aquela que se agradam os olhos. Pois não há pra mim beleza maior do que a beleza do corpo que se entrega de forma insana aos meus domínios e se faz palco dos meus prazeres. O domínio é algo que não se aprende. Não me transformei em Dom de um dia pro outro, nasci Dominador, não tinha consciência disso e do prazer que isso me renderia até 10 anos a traz quando tomei ciência do bdsm através de uma amiga. Outro dia conto essa experiência. Fui convidado a uma festa entre amigos, alguns Dom que fazem parte do meu seleto grupo bdsm, cuja filosofia seguida é a mesma que eu possuo. Diferente de muitos, que veem a submissa como um pedaço de carne, procuramos valorizar aquela que se abdica da sua própria vida, pra viver as nossas vontades, recompensas? Uma entrega ainda mais intensa, um desejo ainda maior de me servir. Há alguns meses atrás, conheci a cadela Paula, no chat sadomasoquismo da UOL, Paula uma mulher intensa e tímida recém chegada a esse mundo bdsm, e de uma alma submissa que sempre me deixou encantado desde a nossa primeira conversa. Paula tem um DONO cuja lealdade é mesmo o que todos nós buscamos em uma cadela, baixinha, gordinha, pele alva ( maravilhoso ver as marcas do meu surrar aflorando nela, como obra prima das minhas mãos), os olhos vivos e verdes, que me reverenciam com um respeito incondicional. Ela buscava conhecer um Dom, por ordem do seu DONO, Ele desejava ... que ela fosse adestrada por um Dom aqui no Brasil, enquanto ele estivesse fora na Europa. Onde eu entro nisso? Fui agraciado com a honra de ter conhecido Eles nessa busca. Após algumas conversas no Skype ela me passou O Skype do Dom Jorge e assim nos tornamos amigos, e depois de avaliar a minha postura enquanto Dom consegui sua total confiança em adestrar a sua cadelinha aqui no Brasil. Já faz alguns meses que Paula tem sessões esporádicas aos meus pés, eu e o Dom Jorge trocamos idéias sempre de como vamos usar a cadelinha dele. O empréstimo é de fato algo consensual como tudo no bdsm, e de fato vc não deve emprestar seu bem mais precioso a quem não a trate como mereça. Esses dias em uma das nossas conversas mencionei a festa a Ele, e o meu desejo de exibir a Paula ao grupo de amigos. Dom Jorge, um dom cuja experiência vai além do que eu ja tinha visto aqui, pois sua primícia, sempre foi o prazer da Paula, sua submissa de alma, concordou que eu a levasse, e que a usasse em um spanking, e que durante o Spanking poderia deixar que a tocassem, e visse a sua reação se percebesse medo nos seus olhos não fosse adiante. A forma como Dom Jorge sempre se preocupou com o limite da Paula me fez rever os meus próprios conceitos, porque a entrega dela é a cada dia ainda mais intensa. Sabia que ela estava de folga, liguei e disse, como deveria ir vestida, pedi que usasse uma maquiagem suave, mas a boca carnuda e deliciosa dela deveria estar bem vermelha, sem nada por baixo além do vestido ...
«1234»