1. CAMINHONEIRO COMEDOR NA BR – PARTE 03


    Encontro: 13/05/2017, Categorias: Travestis, Autor: tiffanycrossdresser, Fonte: ContoErotico

    Apesar de ter dado o rabo já duas vezes, eu seguia normal no dia a dia, ninguém do meu convívio imaginava isso, somente eu e o Andre sabíamos.Um tempo depois disso tudo, sem nada para fazer num belo dia, resolvi ir na banca de revistas atrás de putaria, já fui direto no canto dela aonde ficava oque eu queria e peguei uma revista com a capa que eu gosto, mulher fodendo com dois, e mais no cantinho, tinha uma que me chamou atenção, um travesti estava na capa, não somente uma revista de putaria, mas com artigos sobre travestis, aquilo caiu como uma luva pra mim, juntei elas, paguei e vazei.Cheguei em casa, e já abri logo a de travestis, tinha varias informações, me identifiquei muito com tudo aquilo, a vontade de se vestir de mulher era grande por mim, então minha cabeça tava cheia de ideias, e que beleza, bem no meio da revista tinha um sex shop com anúncios sobre roupas, lingeries e perucas, exatamente oque eu queria, mas não era barato, não pra mim que só estudava e não tinha renda,De cara já tinha me interessado pelas cintas ligas e meias calças, uma peruca loira longa com franjas, um pênis de borracha, e um gel anal que tinha, como já tava na cabeça que ia comprar, aproveitei pra pegar tudo, somei e fui da um jeito de arrumar o dinheiro, pega daqui e arruma dali, depois de um tempinho consegui junta, mas a maior parte da grana veio de uma bicicleta antiga minha que eu vendi, tinha a nova, então não precisa dessa antiga mais, e jogos de vídeo game que vendi tbm, consegui o ... valor e paguei, e tive que segurar minha ansiedade até chegar, e claro tinha me certificado que vinha tudo lacrado.Nesta mesma semana, no sábado quase sempre a noite nós íamos na missa, para ir a igreja de carro, percorríamos a BR que corta a cidade de uma ponta a outra, na volta da missa, retornando por ela, numa curva, tinha um travesti fazendo ponto, a cidade era pequena mas já tinha isso, eu já tinha visto antes é claro, mas não com aquela vontade que eu tava, meu pai fez um comentário:- nossa, que falta de vergonha na cara!Mal ele sabia que seu filhinho também não tinha essa vergonha, passei o domingo na boa, batendo minhas punhetas, o Andre tinha sumido, vai ver se arrependeu de me comer e não queria mais me ver, eu que não ia perguntar.No decorrer dos dias eu meio que por acaso encontrei o Carlos, lembram-se dele, o outro amigo que eu tinha em comum com Andre, também era quatro anos mais velho, perguntei do Andre que tinha sumido, e me falou que ele tinha viajado, mas que chegaria logo, tava respondida minha duvida, aproveitei e dei uma sacada no Carlos pra ver se ele sabia de algo ou não, mas me pareceu normal.Naquela noite, como ainda não tinha chego minhas coisas ainda, resolvi pegar minha bicicleta e dar uma volta na BR, fui ate onde o travesti fazia ponto, tinha um posto de gasolina perto, eu entrei na lanchonete do posto, peguei uma coca e fiquei ali sentado olhando ele la longe, vários carros passavam e buzinavam, caminhoneiro então nem se fala, ate que parou um ...
«1234»