1. Loucura no ônibus


    Encontro: 06/05/2017, Categorias: Virgens, Autor: BrunoGalo, Fonte: ContoEroticoComBr

    Minha ex namorada, acabara de nosso namoro naquele dia, era um relacionamento confuso e problemático. Mas mesmo assim ela me levou até a rodoviária de recife de carro e á me deixou, para nunca mais nos vermos novamente. Eu fiquei entristecido, e enquanto aguardava o horário de 22:30, quando sairia de lá, comecei a encher a cara, aguardando o ônibus. Do meu lado estava uma senhora de seus 50 anos, mas bem parecida, deveria ter sido muito bonita. conversamos um pouco e descobrimos que o nosso destino era o mesmo. Não dei muita atenção. e fui tomar mais uma. ao embarcar, percebi que a poltrona dela era do lado da minha, ela na janela e eu no corredor. Que coincidência! Falei como se já a conhecesse de outras datas, ela falou que era da minha cidade e tinha se separado, estava morando em recife agora e que iria só vender o resto da parte que lhe tocava da separação de bens. Eu falei que tinha acabado um namoro e iria voltar para casa, para passar o feriado. O ônibus partiu, e o ar condicionado era muito frio, me cobri com um cobertor, e ela também, ... ela se virou de costas para mim. Mas de repente ela disse que tava frio, ofereci para lhe aquecer, ela permitiu, mas disse que não apertasse muito. Pois estava carente e não se deixava tocar por nenhum homem há mais de um ano. Eu sorri e disse baixinho que tinha uma camisinha no bolso. ela pediu para ver. lhe mostrei e ela disse guarde isso seu engraçadinho. Bem fiquei ali pertinho dela e dei um cochilo. Lá pelas duas da manhã ela me acordou pegando no meu pau. Pensei que era um sonho, ela pediu a camisinha, colocou no meu cacete. Baixou suas calças e de lado conduziu meu pau para dentro daquela buceta molhada. Mandou que eu ficasse parado e relaxasse, ela rebolou em mim, a noite quase toda, não sei por quanto tempo, até que gozei demais. Depois ela mesmo tirou a camisinha, com um lencinho limpou meu pau. e ficou segurando ele até que eu adormeci. Quando chegamos na cidade de destino, acordei na rodoviária pelo motorista, fui o último a sair do bus, nunca mais a vi, e nem lembro do seu rosto. mas foi uma das trapadas mais gostosas da minha vida.
«1»