1. FIZ MEU AMIGO HETERO SE APAIXONAR POR MIM (HISTÓRIA REAL) - Parte 7


    Encontro: 05/05/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Amigos, Paixão, Romance, PRECONCEITO., Autor: ..., Fonte: CasadosContos

    O Dan era aquele tipo de cara que não deixava você não sentir prazer nos momentos sexuais, e isso era bom demais. Com aqueles seus beijos super envolventes, ele estava conseguindo fisgar o meu interesse e a minha excitação completamente. Após tirar o seu casaco, a respiração dele e a quentura do lugar – minha sala de estar – foram virando uma coisa louca de boa. Tudo ali parecia tão pequeno, com nós dois ali... Foi o beijo mais longo de toda a minha vida, e eu tinha gostado. Mas tudo ali se interrompeu de uma forma tão... Tão... Ícaro tinha me vindo à mente e eu deixei aquilo ali acabar. Podem me julgar, eu deixo! Cara, tudo o que eu mais queria era poder transar com o Dan naquele dia, mas não sei o que tinha acontecido comigo. Dei uma travada. Dan se afastou e ficou meio que espantado. – O que foi, cara? Eu fiz alguma coisa de errado? – Não, não... Me desculpa, tá? A culpa é minha. – Sentiu alguma dor? – Não, Dan, relaxa. Me desculpa mesmo, tá? Eu não queria... – Théo, relaxa. Eu acho que você não tá pronto pra fazer essas coisas ainda depois que rolaram essas coisas com você. – É isso. Com certeza, é isso. – aproveitei e embolei nessa desculpa. – Eu acho melhor ir embora. Amanhã eu posso vir aqui pra te ver? – Dorme aqui. Dorme aqui comigo. – Não, prefiro ir pra casa e te deixar ter uma ótima noite de sono. Já tá tarde, Théo. – Então vem amanhã. Amanhã. – Não seria tolo em faltar esse compromisso. Com certeza, eu vou estar aqui amanhã. – Vou te esperar. Dan me deu um ... último beijo e saiu. Tinha saído, mas o seu cheiro tinha ficado no lugar e em mim. Mano, eu só queria saber onde era que eu ia por a minha cara. Caralho... Que ódio eu sentia de mim mesmo! Eu não acreditava de jeito algum que eu estava ficando apaixonado por quem tinha acabado de me dar uma surra... O quê que era isso, em? Meus sentimentos estavam confusos demais: Ora eu pensava no Ícaro e ora eu me sentia preso. Preso como? Ah, não consigo explicar bem, mas me sentia como se tivesse num lugar vazio, sem amor, e que eu nunca mais fosse capaz de gostar de alguém. Era horrível. O Ícaro era tão lindo, tão lindo, mas aqueles defeitos dele, e o seus erros, estavam me fazendo desgostar dele, e eu não aceitava isso. E o Dan? E ainda tinha o Loai, que ia vim passar uns dias comigo... Tentei dormir depois daquele episódio constrangedor com o Dan e consegui depois de embolar várias vezes na cama. Ícaro, Ícaro, Ícaro... O nome dele estava em minha mente, o nome dele estava em meu corpo... Eu repetia pra mim mesmo: “mano, ele te bateu... para com isso, Théo”... E vocês acham que parava? Não! Só aumentava. Eu queria vê-lo, eu queria reencontrá-lo para saber quais eram as atitudes que eu ia tomar quando ele estivesse ali na minha frente. Minha vontade era de enche-lo com uma surra bem forte, mas ao mesmo tempo me dava uma vontade imensa de abraçá-lo, de beijá-lo... Que ódio, que ódio eu sentia. Acordei lá pelas 12h da tarde. Aquele sono tinha me feito bem, pois eu tinha acordado sem dor alguma ...
«123»