1. Punheta no busão


    Encontro: 02/05/2017, Categorias: Masturbação, Autor: maurinhooliveira, Fonte: ContoErotico

    Bem, me chamo Mauro, sou moreno, tenho 1,76m, magro e amo uma boa foda. Diferente dos contos relatados anteriormente, este será curto. Então, vamos lá...Era um dia qualquer do primeiro semestre de 2013 e, eu tinha acabado de sair da faculdade à noite. Estava a espera de um ônibus para ir pra casa. Bom, poucos de vocês que leem esse conto sabem mas, o trajeto do Renascença para o Anil aqui em São Luis é longe e isso me daria tempo dormir no caminho de volta.Confesso que já tive uns paqueras dentro do ônibus, umas olhadas, uns sarras... mas nada comparado ao que aconteceu nesta noite.O bus que peguei estava, praticamente, vazio. Como gosto de sentar nos fundos do busão, então me direcionei até lá. No entanto percebo que o local já estava ocupado, então, voltei pra sentar nos bancos que ficam atrás daquelas cadeiras altas. Não sentei do lado da janela, pois estava chovendo e não queria que respingasse em mim nenhuma gota d'água. Em instantes, encosto minha cabeça na cabeceira do banco e começo a cochilar com o embalo do ônibus. Me sinto "confortável" por pouco tempo, porque uns cincos minutos depois um rapaz pede pra sentar ao meu lado. O lado da janela.Levanto, deixo ele passar e volto a sentar. Com isso perco o sono e começo a reparar no cara que pediu pra sentar. Meu pau começa a latejar e meu cu fica "piscando".Lembro que ele não era tão alto - creio que por volta dos 1,70m. Pardo do corpo atlético, com cabelos bem escuros e lisos, usava óculos e tinha uma barba bem ralinha ... dando indícios de que já estava crescendo. Ele estava bem vestido e parecia ser alguém bastante reservado.Logo lembrei que estava encarando demais ele e parei. Comecei a fingir que estava dormindo enquanto minha mão esquerda ia de encontro com a coxa dele a cada vez que o ônibus balançava. Se ele percebeu, eu não sei. Apenas sei que fui subindo a mão até o pau dele e quando cheguei lá, ele segura minha mão e olha pra mim. Eu, é claro, retribuo o olhar assim que sinto as mãos grossas dele sobre a minha. Então, com a outra mão, ele abre o zíper da calça dele e coloca minha lá dentro. Nesse exato momento sinto meu coração palpitar muito forte e olho pros lados pra ver se ninguém percebeu isto. Como estava tudo tranquilo eu prossegui.Por cima da cueca, sinto a rola dele dura. Não me contenho e desabotoo a calça pra tirar o pau dele pra fora. Vejo que é mediano - diria que uns 17 cm, grosso e branquinho da cabeça rosada, e começo a fazer movimentos frenéticos de cima pra baixo. Ele segura em minha coxa e eu percebo que ele está se controlando pra não começar a gemer. Então paro o que estou fazendo, levo minha mão ao roso, sinto o cheiro do pau de macho dele, discretamente cuspo na mão e volto a pegar na rola dele para lubrificar melhor a punheta.Estava no bairro do João Paulo quando comecei a punheta, e fiquei batendo uma pra ele até chegar umas cincos paradas antes de eu ter que descer.Nesse momento, ele tira a mão de minha coxa e pega minha nuca. Pensei que ele fosse me forçar a ...
«12»