1. A Primeira Vez de Paula


    Encontro: 30/04/2017, Categorias: Virgens, Autor: senhorboring, Fonte: ContoEroticoComBr

    Bom, vamos à história. Estou na faixa dos trinta – mais para os quarenta, mas não muito – e deixei para trás um casamento de alguns anos que havia caído na rotina total e absoluta. De lá para cá saí em busca de vivências novas, histórias novas e, especialmente, para me divertir um pouco fora da vidinha burguesa que levava. Sem preconceitos – tudo se admite. Apesar da idade, por me cuidar pareço bem menos. Uma coisa que venho reparando em minhas andanças é que homens na minha faixa de idade atraem sobremaneira moças na faixa dos 18, 20 anos. Poderia tentar explicar o porquê disso, mas não é o caso. E foi assim que aconteceu essa. Tenho um amigo pouco mais velho que eu, mas que foi pai bastante cedo e que na ocasião tinha um casal de filhos: o rapaz com 18 e a menina com 19. Ambos faziam bastante sucesso entre seus pares, por serem jovens muito bonitos e atraentes. Paula, então, era bastante cortejada. Loura, cabelos na altura dos ombros, corpo mediano, mas bem definido. Muito, mas muito atraente – mas jamais havia pensado em algo. Assim que me divorciei e me mudei para o apartamento que me coubera na divisão de bens, meu amigo me liga pedindo um favor: que eu desse uma entrevista a Paula para o estágio que ela fazia em jornalismo. A pauta seria sobre manobras contábeis de grandes empresas, e ela queria uma opinião especializada. Disse a ele que passasse à Paula meu celular que a atenderia com prazer. Só não sabia que seria literal. Ela me ligou no dia seguinte. Propus que ... fizéssemos via telefone, mas ela alegou que precisava que eu a explicasse algumas coisas. Marcamos no meu apartamento no sábado à tarde. Pontual, Paula chegou. Vestia uma saia pouco acima dos joelhos e uma blusinha que realçava o belo corpo que tinha: nada muito pequeno ou muito grande, mas tudo dentro das medidas. Era atraente, sem dúvida. Servi a ela água e abri uma cerveja, mas até aquele momento sem qualquer segunda intenção. Ela parecia um pouco nervosa, mas achei que fosse devido à matéria. Perguntei sobre as dúvidas que ela tinha e, para minha surpresa, ela me abriu o jogo, sendo direta: – A matéria era só uma desculpa, vim aqui por você. Retruquei surpreso com a situação, mas ela disse que sempre prestara atenção desde adolescente a mim e que, agora divorciado que estava, resolvera me procurar. Imediatamente levantou-se de onde estava sentada e me beijou. Enlacei-a, retribuí o beijo e comecei a beijar-lhe o pescoço, delicadamente. Ela me abraçava e com as mãos procurou meu pau, que já dera sinal de vida, acariciando-o ainda por fora da calça. Delicadamente tirei a blusa e parei para admirar seus belos seios aprisionados em um sutiã meia taça. Peguei-lhe pela mão e fomos para o quarto, e neste momento ela me surpreendeu de novo: – Só faça com carinho porque esta é a minha primeira vez. Sempre sonhei com este dia, e sempre com você. Quase caí para trás. Mas optei por não perguntar nada. Joguei-a sobre a cama e beijei-a novamente, vindo pelo pescoço, colo e subindo novamente ...
«1234»