1. Minha mãe me vendeu como escrava


    Encontro: 25/04/2017, Categorias: Hetero, escrava, Sadomasoquismo, Autor: Mariana, Fonte: CasadosContos

    Olá Meu nome é Mariana e não vou mentir e dizer que era uma santinha, que não sabia o que era sexo selvagem e etc, etc, etc Sempre fui safadinha. Acho que era de família...rss Minha mãe, Leandra, era dona de bordel, e eu não conhecia meu pai (quem iria saber quem era pai de filha de puta?). Minha mãe nunca escondeu sua atividade, muito pelo contrário. Ela tinha esse puteiro no interior da Bahia (Feira de Santana) e a nossa casa era no fundo do “estabelecimento”. Não era um puteiro “pé sujo” não. As meninas eram bem cuidadas e os quartos arrumadinhos. Mas, a putaria era intensa. Como falei, fui criada assim no meio. Minha mãe não me recriminava, mas tb não deixava que nenhum homem me tocasse...o que eu queria imensamente. No entanto, sempre conversava com as garotas e elas me ensinavam as maiores putarias. Minha mãe tb me ensinava algumas coisas, mas só era a teoria, pois a prática..... nunca!!! Eu frequentava a escola pública. No início sofria bulling, mas depois, que fui ficando uma adolescente, virei o centro das atenções: meninas e meninos queriam saber como era o sexo e dar umas espiadelas. Eu sempre tirava onda dizendo que não era mais virgem e passava todos os ensinamentos teóricos que recebia como se fosse minhas experiências....rss. Minha mãe nem sonhava. Ela não queria, de forma alguma, que eu perdesse minha virgindade. Só não sabia o motivo.... No bordel sempre tinha festinhas, regadas a muita bebida e drogas (que eu tb não era autorizada) – revelo que roubei ... alguns restinhos de cerveja e vinhos nos copos esquecidos por ai, mas nunca na frente da minha mãe. Minha mãe deixava que em alguns momentos eu ficasse no salão ajudando e assim eu sempre via algumas cenas mais ousadas. Os homens me comiam com os olhos, mas ninguém era besta de se ousar comigo. Minha mãe, conhecida como Dona Cabeleira, tinha uma fama de durona. E nós tínhamos seguranças que obedeciam muito a minha mãe. Eu sabia que não era somente por conta do salário. Sempre a via levar um ou outro (ou outros) para seus aposentos. Eles eram loucos por ela... Então, alguns meses depois de completar os meus 16 anos, minha mãe disse que eu não precisaria mais frequentar a escola. Eu reclamei. Eu era uma excelente aluna e queria fazer faculdade e poder sair de Feira de Santana. Queria ser independente e não mais obedecer a minha mãe, que me privava dos prazeres. Não adiantou reclamar. Apesar de já ser uma mocinha, ainda tinha muito medo da minha mãe. Ela era durona comigo também.. apanhei e fiquei muitas vezes de castigo, o que me fazia ter, realmente, medo dela. Nessa época, eu já tinha um corpo bem formado. Não era uma deusa, mas meus seios era arredondados e cintura fina. Minhas pernas eram longas e bem tornadas e tinha um bumbum firme. Também...estava desde os 14 anos na academia e nunca podia faltar. Minha mãe valorizava mais a academia que a escola..... Não teve jeito, deixei de frequentar a escola no fim do ano (ainda consegui finalizar o ano pois implorei). No fim de novembro ...
«1234»