1. A primeira sessão do empréstimo.


    Encontro: 19/04/2017, Categorias: Sadomasoquismo, Autor: Paula de Dom Jorge, Fonte: ContoEroticoComBr

    Eu abro o meu Skype e vejo a mensagem deixado pelo dom Luiz, ordens para amanhã, nossa primeira sessão, sob as ordens do meu DONO. Bom dia cadela, aqui estao suas ordens para amanha. 1- quero a cadelinha totalmente depilada, lisinha pro meu uso. 2- sem maquiagem, quero a sua beleza natural. 3- sem lingerie. 4- use um vestido que facilite a exposição das tuas tetas. 5- 10 horas em frente ao shopping, nao tolero atrasos. 6- nao me questione, fale somente quando eu ordenar. 7- leve uma troca de roupa vc vai precisar. 8- hesitar a cumprir minhas ordens sera considerado como desobediência e sera castigada sem piedade, prefira o meu surrar pra te adestrar do que pra disciplinar, garanto ser muito mais prazeroso. afago seus cabelos e desejo um lindo dia. Estou feliz em enfim usar a cadelinha do DONO. O dia amanhece, tomo meu banho e sigo as orientações do meu DONO e as do Dom Luiz, coloco a minha coleira na bolsa, e saio apreensiva de casa. Não posso negar minha ansiedade e desejo de viver isso. Chego no ponto minutos antes, ele estaciona o carro, me aproximo, entro no carro, ele oferece a mao pra que eu a beije. eu obedeço e o beijo. – Tem permissao pra falar, quando eu assobiar, chamo a cadelinha e quero sua obediência cega, só falara quando eu ordenar entendeu ? – Sim Senhor. Entao a conversa flui naturalmente. pergunta sobre como estou, falamos sobre coisas corriqueiras, ele ri gostoso das minhas piadas, estamos indo por uma rua deserta, por vezes suas maos deslizam sobre as ... minhas coxas, toque suave outras vezes da um tapa e diz – Que vontade de te surrar vadiazinha. Entao as maos deslizam pelo meu colo, meu coração acelera ele ri e diz. – Excitada puta ? – Sim Senhor respondo ja com certa dificuldade em ocultar meu tesao. ele para o carro no acostamento. Assobia, bate na coxa e diz, aqui cadelinha. Esse é o sinal de que nao posso mais falar, apenas obedecer sem exitar. – Escancara essas pernas vadia, quero ver se esta como deve estar na presença de um dono. eu obedeço, suas maos macias e quentes deslizam pelas minhas coxas ate tocarem meu grelinho, ele torce e aperta ao mesmo tempo, a dor me faz gemer, entao ele desfere um tapa na minha cona que arde tanto quanto o barulho que faz ao me bater. -Puta só geme quando eu ordenar. Eu abaixo a cabeça em sinal de rreverência Ele afaga meus cabelos e diz – boa menina. então seus dedos invadem minha cona ele ri e diz. – Teu DONO em nenhum momento exagerou, olha como essa cona esta encharcada sua puta reles. deliciosamente encharcada, como deve ser pro dono, pronta pro uso. Então ele tira minhas tetas pra fora do meu vestido e começa a trincar meus bicos, hora de forma carinhosa, hora me ofertando dor. Beija minha nuca e sussurra. -Vamos conferir a cona da vadia, quero ver se gosta de ser tocada nas tetas, se gostou da tortura, sua mão descem me tocando carinhosamente ate chegar na minha cona. -Olha isso. cadela no cio seus sumos estao abundantes, delicia de vadia, vamos fazer a puta babar mais ainda, quero ...
«1234...»