1. Amando a vida de luxo


    Encontro: 16/04/2017, Categorias: Paixão, Drama, crime, violência, Sexo, Relato real, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: PauloPM, Fonte: CasadosContos

    Quando eu já estava com 15 anos fugi de casa, daquele dia em diante passei a encarar a vida contando apenas comigo. Passei um ano vivendo na rua, literalmente, até que certo dia encontrei uma senhora muito amável que, sendo caridosa, me acolheu em sua casa, ela também me arranjou um emprego num bar e após me empregar, saí de sua casa e fui morar num quarto pequeno que tinha alugado próximo do meu serviço. Meu salário era pequeno, mas consegui me virar, voltei a estudar, desta vez a noite e quando consegui meu reservista arranjei um outro emprego, desta vez fichado e com um bom salário, numa empresa de mineração. A senhora que havia me ajudado quando eu estava na rua - ela era idosa e viúva, nunca tinha tido um filho, seus parentes mais próximos eram seus sobrinhos, filhos de sua irmã falecida Já, e moravam nos EUA - ela vivia sozinha, mas apesar d'eu ter saído de sua casa ainda a visitava com muita frequência, no entanto, certa dia soube de sua morte(morreu enquanto dormia) fiquei entristecido, a tinha como minha madrinha e era recíproco nossos sentimentos. Dias depois fui surpreendido pelo seu advogado, que após o falecimento de sua cliente, abriu o testamento e nele estava constando que a casa que ela vivia havia sido entregue para mim. Depois de me convencer de tal situação passei um tempo morando novamente lá, mas depois a vendi, foi no ano de 2009, consegui vendê-la por 300mil reais, com esse dinheiro eu comprei um apartamento no valor de 160mil, um carro de 40mil e o ... restante eu guardei numa poupança. Parecia que eu estava dando a volta por cima, meus dramas do passado estava totalmente apagados de minhas lembranças, só guardava as experiências, como forma de aprendizado. Aprendi muita coisa boa e ruim no período que morei na rua, posso dizer com firmeza que já não era mais a mesma pessoa. Se alguém do passado pudesse me ver diria que aquele novo Paulo jamais teria sido aquele outro de quando morava na vila, um adolescente frágil, bôbo, inocente e sem maldades, eu estava o oposto disso tudo. Desde que recebi a herança de minha madrinha comprei meus próprios bens, comecei a ter um novo ciclo de amizades, estava disposto a ter um estilo de vida compatível com minhas ambições, meu sonho era ser da classe alta. Odiava tudo que pudesse me Lembrar que um dia tinha sido um miserável, e, mesmo não tendo dinheiro suficiente para estar frequentando lugares da elite, eu me esforçava e disfarçava ao meus novos amigos uma posição social na qual não me pertencia. Nesse período, também, interessei-me muito pelos estudos, como todos os amigos falavam inglês e em muitas conversas eu ficava deslocado, era recorrente usarem termos na língua inglesa, estudei essa nova língua em caráter de emergência, além disso; caí de cara nos livros de histórias e geografia para, inserir-me nas conversas, falar de "minhas viagens" ao redor do mundo(naturalmente que elas nunca tinham existido, apenas projeções de minha mente). Enquanto uns comentavam de Miami ou Londres, eu ...
«1234...»