1. Príncipe Impossível | Cap. 39


    Encontro: 14/04/2017, Categorias: Grisalho, Oral, esperma, Sexo, Mistério, Drama, Paixão, Amor, Príncipe, proibido, segredo, mudança, Vida, Romance, Detetive, INVESTIGAÇÃO, fofo, homem, Beijo, aeroporto, Série, Traição / Corno, chefe, Amizade, EUA, Namoro, Erotismo, romantismo, crime, Virgem, advogado, médico, barba, Hospital, Empresa, apartamento, Estupro, serial Killer, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: The Sculptor ✟, Fonte: CasadosContos

    CORAÇÃO ELÁSTICO | capítulo trinta e nove A noite passada foi reveladora. Devia me sentir culpado pelo o que aconteceu porque eu sei dentro de mim que não fiz o que fiz pensando no trabalho ou no plano. Fiz por puro prazer. Fiquei atraído por Rupert e me entreguei a ele por completo. O mais estranho de tudo é que todo esse tempo pensei que tinha encontrado a felicidade com Gray e nunca pensei que pudesse sentir com outro homem que eu sentia por ele. Me sentia da mesma forma com Rupert. Me senti relaxado e estranhamente reconfortado em seus braços. Estava deitado de lado pensativo. O relógio do meu celular marcava pouco mais das nove horas da manhã de sábado. Havia algumas ligações de Gray. O recado que eixei com Holly foi diferente d oque fiz. O combinado era eu ir para meu apartamento, mas acabei em um hotel com Rupert. Sentia o corpo dele pressionado no meu. Sua perna carinhosamente jogada sobre as minhas e seus braços me envolvendo. Ele ainda dormia. Sentia sua respiração na minha nunca e um ronco bem baixinho. O quarto estava pouco iluminado, mas eu estava sem sono. Tinha tanta coisa em minha cabeça naquele momento. Já tinha dormido o que precisava durante a noite e estava a mais de uma hora acordado apenas pensando. Não tinha coragem de me mover ou me levantar porque era gosto sentir Rupert daquele jeito em mim e eu não queria acordá-lo. Estávamos os dois de cueca com o cobertor cobrindo até a cintura. A mão esquerda de Rupert estava jogada por cima de mim e repousava ... em meu peito me pressionando para trás. Peguei meu celular novamente e o destravei vendo as cinco ligações de Gray da noite passada. Havia também uma mensagem no meu aplicativo. Gray perguntava onde estava, se algo tinha acontecido e que hora eu chegaria em casa. A última mensagem dele foi ás sete da manhã – ESTAREI DE PLANTÃO HOJE CEDO – junto a mensagem o símbolo de um coração. Ignorei as ligações e as mensagens dele e coloquei o celular de volta no criado mudo. Rupert suspirou atrás de mim e mexeu seu corpo me abraçando mais forte. - bom dia – falou ele quase que cochichando. - bom dia – falei sentindo ele deslizar sua mão de meu peito até minha barriga subindo até a minha cintura. Ele levantou um pouco o corpo e deu um beijo na minha bochecha. - como você dormiu? – perguntei sentindo ele acariciar minha barriga e minha cintura. - nunca dormi tão bem na minha vida – falou ele subindo a mão pela meu braço – e você? - dormi bem. Apesar de ter acordado cedo, dormi bem. - e você ficou deitado aqui comigo todo esse tempo? - sim. Você disse que nunca tinha passado a noite com outro homem antes e eu não quis estragar pra você. - obrigado – falou ele me puxando me fazendo deitar de costas. Ele colocou a mão no meu peito e desceu até minha barriga – muitas noites como essa irão acontecer agora que estamos namorando. - eu não disse sim para seu pedido – falei olhando nos olhos dele. - não faça eu me humilhar – falou Rupert acariciando meu rosto – a noite não foi boa para você? Eu fiz ...
«1234...9»