1. O amor vem de onde menos se espera. 15


    Encontro: 12/04/2017, Categorias: Paixão., Raiva, Segredos, suspense, Romance, Drama, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Berg, Fonte: CasadosContos

    Eu - Você pode ferrar com minha vida. O que você ganha fazendo isso? Klauss - Já te falei. Só curto brincar. Eu - mas isso não é brincadeira merda. É minha vida. Klauss - Cada um com seus problemas. Eu - me diz o que você quer pra não fazer isso. Pode pedir qualquer coisa. ( eu continuava agarrado ao braço do cara). Klauss - qualquer coisa? ( ele me olhou com um sorriso estranho). Eu - qualquer coisa cara. Eu só não quero perder esse emprego. Klauss pensou um pouco. Klauss - já sei o que eu vou querer. Eu - o que? O homem sorriu maliciosamente. Eu - fala cara, me diz o que tu quer pra não falar nada com o Matthew. (eu dizia aflito). Klauss - por enquanto ficamos dessa forma. Mas no momento certo eu irei cobrar. Eu - não, espera aí. Como assim no momento certo você irá cobrar? Qual é a tua meu irmão? Klauss - já falei. No momento certo você vai saber. Agora me faz um favor: Fica bem longe da minha família, e principalmente do meu pai. O cara me olhou de uma forma que me fez, pela primeira vez, teme-lo. Assim que ele entrou na residencia, eu fiquei pensando em inúmeras possibilidades para que ele nutrisse tanto ódio por mim, e cheguei a uma conclusão. Ele era um otário mimado que não era acostumado a ser contrariado. Só poderia ser isso. - Felipe? ( Matthew apareceu na sacada, cortando meus pensamentos). Eu - Oi Matthew? (perguntei assustado). Matthew - te assustei? (disse esboçando um sorriso). Eu - Não. É que eu tava um pouco distraído. O cara sorriu. Matthew - quer jantar ... agora? Eu - quero. Quero sim. Matthew - então vamos lá. O homem foi ate a cozinha, e eu o acompanhei. Lá chegando, Klauss já estava acomodado comendo alguma coisa. Eu o olhei e ele soltou um sorrido de canto de boca. Fiz meu prato e quando fui sentar, o homem bateu com a mão na cadeira que estava a seu lado. Entendi que ele estava insinuando que eu sentasse ali. XXXXxxxx Depois de um bom tempo comendo em silencio, Matthew resolveu quebrar o gelo. - E aí Felipe, ta gostando do meu tempero? Eu - to sim. Ta tudo muito bom. Matthew - tu ta calado. Achei que não tivesse gostado. Eu - gostei sim, é que eu tava entretido com a comida. Klauss - deixa o moleque quieto irmão. Ta vendo que ele ta pensativo. Olhei para o Klauss, e ainda não conseguia entender qual era a dele. Eu - da licença Matthew, eu já terminei. (falei levantando da mesa). Matthew - já? Tu não comeu quase nada. Eu - to sem fome. Matthew - sei. Quer sobremesa? Eu - Não! Valeu. Matthew - Tem certeza? Tem sorvete, tem pudim... Eu - Tenho certeza. (falei o interrompendo). Matthew - tudo bem. Eu - vou te esperar la na sala. Matthew - beleza. Eu já te acompanho. Eu - certo! Klaus me olhava com cara de desconfiança. Eu tentava imaginar o que aquele cara estava articulando. xxxxXXX Matthew - e aí? (disse Matthew sentando no sofá a meu lado). Eu - li e reli isso aqui e não entendi quase nada. (falei com o documento em mãos). Matthew sorriu. - Vamos ler juntos e eu vou te explicar direitinho. Como ja havia te adiantado, uma ...
«1234...»