1. COMO APRENDI A VIVER A VIDA. 11


    Encontro: 26/03/2017, Categorias: Romance, Paixão, Amigos, rejeição, Medo, insegurança, superação, ajuda, bullying, Amor, Morte, Amizade, violência, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Hugo -- Isaac, Fonte: CasadosContos

    Olá amores, segue o capitulo 11 que foi escrito em boa parte pela Carol uma mina gata que se dispôs a me ajudar rs, acrescentei algumas coisas... Carol amor muito obg pela ajuda! ♥ Amores obg pelos coments, votos e leituras... Abraços e até maisCOMO APRENDI A VIVER A VIDA / / / Realmente a vida não estava dando folga. Por que tudo isso tem que acontecer só comigo? Quando todo esse sofrimento iria acabar? E essa quinta-feira não estava sendo nada fácil... - tudo bem, só não quero incomodar. - Eu disse secando as lágrimas que teimavam a cair. - Não vai ser incômodo algum rs. E prazer meu nome é Patrícia, mais pode me chamar de Patty. -disse sorrindo -Desculpa, meu nome é Paulo. - falei sem graça. Chegamos à parada na qual ela iria descer. Descemos e logo chegamos ao prédio, quer por sinal muito bonito por fora, entramos pelo portão principal, fomos ate o hall, pegamos o elevador e subimos para o décimo andar. - Bem vindo a minha humilde casa, e não repare a bagunça - disse ela já entrando e me puxando pelo braço. - Nossa você mora aqui? Sua casa é enorme e... -Gostou? É sim, aqui que eu moro. Quer beber alguma coisa água, suco...? - Não obrigado Patrícia - disse sem graça. - Vou pegar uma toalha pra você então... - disse ela já subindo uma escada, sem ao menos eu ter como responder, me deixando sozinho na sala. Mas como assim? Quem é ela? Porque está tentando agindo dessa forma comigo? Pensando nisso quando fui despertado pelo toque do meu celular, olhei na tela e era o ... Júlio, atendi sem nenhuma vontade... - Alô. - Oi Paulo, sou eu Júlio. -Eu sei! o que você quer? - falei sendo um “pouco" grosso. Senti que ele respirou fundo e falou: -Desculpa... É que... Não queria incomodar... Só fiquei preocupado com o seu sumiço, a gente tinha marcado de se encontrar no laboratório e vc não apareceu. - senti que ele ficou sem graça com minha grosseria. - Ta tudo bem, só tive um probleminha, por isso tive que sair cedo. - Falei mentindo, não queria dar explicações agora. - Ata, mas ta tudo bem? - sim, depois agente se fala... Tchau - Falei vendo a Patty descer com a toalha na mão. - Tchau, se cuida, qualquer coisa me liga...- falou ele - Ok! - falei já desligando. - o banheiro é ali no corredor a única porta a direita. - disse ela me entregando a toalha e sorrindo. - Desculpa, mais acho que já vou, eu só queria deitar e ficar sozinho. Obrigado por tudo! - Disse entregando a toalha para ela. - vamos fazer assim - disse ela me puxando e sentando no sofá. - você me conta o que aconteceu, eu conto sobre minha vida, e o porquê de te trazer aqui, mesmo sendo um estranho. Pare de ser orgulhoso. Depois vc toma um banho, eu faço um curativo nesse seu machucado no canto da boca, que tal?! Eu estava meio arredio, inseguro. Ela era só uma estranha; mas tinha me tratado com tanta atenção. Eu resolvi então me abrir mesmo inseguro eu contei a ela desde a minha vinda para São Paulo até a morte do meu avô; não contei nada sobre o que tinha acontecido mais cedo, tinha sido ...
«123»